Comissão julgadora do ‘Vídeo Legal’ avalia nove trabalhos selecionados para fase final do concurso

por andre_inohara — publicado 22/05/2012 17h27, última modificação 22/05/2012 17h27
São Paulo – Vencedores serão anunciados em evento no dia 01/06 na Amcham.

Com a seleção de nove filmes finalistas pela comissão julgadora, o concurso Vídeo Legal chega à sua fase final.

O concurso vai premiar os melhores trabalhos em vídeos produzidos por estudantes de dez a doze anos da rede pública de ensino. Trata-se de uma iniciativa conjunta da Amcham, por meio do Projeto Escola Legal (PEL), e do consulado dos Estados Unidos. Criado em 2007, o PEL realiza um trabalho de conscientização sobre o combate à pirataria junto a estudantes do ensino fundamental.

Os critérios de seleção são baseados no conteúdo apresentado e na criatividade em relação ao tema do combate à pirataria.

Dos nove vídeos selecionados para a fase final, serão escolhidos os três melhores pela comissão julgadora até 29/05. Os vencedores serão anunciados na cerimônia de premiação que será realizada na Amcham, em 01/06.

Entre março e abril, etapa inicial do concurso, as nove escolas participantes entregaram ao todo 35 vídeos de curta duração feitos por seus alunos.

O objetivo do concurso é oferecer uma atividade multimídia às crianças e, ao mesmo tempo, começar a falar da importância da propriedade intelectual e dos direitos autorais.

Todos os vídeos serão postados nas redes sociais do Projeto Escola Legal e do Consulado dos EUA. Ao final do concurso, cada escola participante receberá uma flipcam (câmera de vídeo digital) para uso geral na escola.

Veja aqui: Projeto Escola Legal abre inscrições para concurso de vídeos sobre males da pirataria, voltado a alunos do ensino fundamental

Combate à pirataria pela vertente educativa deve ser reforçado diante do crescimento do mercado consumidor

Projeto Escola Legal amplia presença no Estado de São Paulo

As regras do concurso

Estudantes

1. Cada grupo deve criar um vídeo de 2 a 5 minutos.

2. Cada grupo deve ter no máximo 10 estudantes.

3. Os vídeos criados devem mostrar porque a pirataria é ilegal e antiética. Os alunos devem usar as informações da apresentação feita pelos organizadores.

4. Os vídeos devem ser criativos e podem envolver música, dança, poesia, ou qualquer meio criativo de expressar idéias.

5. Cada grupo deve dar um título ao seu vídeo.

6. No início de cada vídeo os alunos devem dizer claramente o nome da escola, o título do vídeo, e os nomes dos alunos participantes.

7. Os vídeos devem ser produtos finais. Os alunos podem usar o software de edição da câmera de vídeo digital – “flipcam.”

8. Vídeos com qualquer tipo de conteúdo inadequado ou ofensivo serão desqualificados. Caberá aos professores e, aos representantes do Consulado dos Estados Unidos e do Projeto Escola Legal julgar que tipo de conteúdo é considerado inadequado.

Professores

1. Cada escola será responsável por devolver todas as câmeras de vídeo digital em bom estado no final do concurso. O Consulado fornecerá contratos e listas de controle para formalizar o empréstimo e suas condições para cada escola participante, assim como, termo de autorização para uso de imagem, voz e propriedade intelectual. As flipcams serão monitoradas por seus números de série.

2. Os alunos devem ser supervisionados por um adulto sempre que estiverem usando as flipcams fornecidas pelo Consulado.

3. Os professores poderão determinar quais alunos participarão da apresentação e quantos grupos poderão participar do concurso.

Escola

1. Cada escola receberá 10 flipcams. Só serão aceitos 5 vídeos de cada escola para o concurso.

2. Representantes do Consulado dos Estados Unidos e da Câmara Americana de Comércio apresentarão em cada uma das escolas participantes o “Projeto Escola Legal” e as diretrizes para o concurso, e ainda, distribuirão as flipcams.

Sobre o PEL

O Projeto Escola Legal é uma iniciativa da Amcham e seus parceiros, tendo como objetivo alertar crianças e jovens do ensino fundamental (em sua maioria entre 07 e 14 anos) das redes pública e privada a respeito do problema da pirataria no Brasil e no mundo.

Dentro das atividades do Projeto Escola Legal, valores morais, ética e destaque para a importância de uma postura cidadã são base para a discussão sobre as conseqüências da opção por consumo de produtos piratas e utilização do comércio ilegal.

Conheça aqui o site do Projeto Escola Legal.

Telefone: 11 5180-3745 / 11 5180-3902

E-mail: [email protected]

registrado em: