Economia do país em 2014 repetirá desempenho de 2013, mostra pesquisa da Amcham com empresários

publicado 13/03/2014 16h40, última modificação 13/03/2014 16h40
São Paulo – Executivos responderam a enquete durante almoço de posse do conselho da entidade
economia-foto01.jpg-9439.html

O empresariado brasileiro avalia que a economia do país, este ano, terá desempenho igual ao de 2013. É o que mostra pesquisa realizada pela Amcham – Brasil, durante a cerimônia de posse do Conselho Administrativo da entidade, em São Paulo (confira a pesquisa completa aqui).

Ao todo, foram 173 respondentes, entre presidentes e executivos de empresas de diversos segmentos.

A maioria (61,84%) acredita que o crescimento da economia seguirá estável em relação ao ano passado, entre 2% e 3,5%; 34,21% disseram que será menor, abaixo de 2%; e 3,95% apostam que será maior, acima de 3,5%.

Desempenho das empresas

Quanto ao crescimento de seus negócios, 43,83% dos entrevistados afirmaram que deverá ser acima da média da economia brasileira; 21,61% pensam que será muito acima da média; 26,54% avaliam que permanecerá igual à economia do país; e apenas 8,03% acreditam que será abaixo da média.

Os empresários foram questionados quanto aos investimentos que farão em suas companhias, este ano: 41,62% dizem que serão mais altos que os do ano anterior; 36,42% manterão os valores de 2013; e 21,97% vão diminuí-los.

A produtividade foi apontada como o principal foco de gestão das empresas para 2014, com 34,1% dos votos. Além disso, 21,39% vão destinar seus esforços à comercialização, e 20,23% à expansão dos negócios. Outros 10,98% apostarão na gestão financeira; 10,44% em pessoas; e 2,89% em gestão de riscos.

Conselho da Amcham

A pesquisa, “Expectômetro da Amcham”, é realizada anualmente pela entidade, durante a posse de novos conselheiros. Entraram para o time Donna Hrinak, presidente da Boeing no Brasil; André Gerdau Johannpeter, diretor-presidente do comitê executivo do grupo Gerdau; Fernando Alves, presidente da PwC; Franklin Feder, presidente da Alcoa para América Latina e Caribe; Guilherme Loureiro, CEO do Walmart no Brasil; Luis Pretti, presidente da Cargill no Brasil; Marco Antonio Stefanini, presidente da Stefanini; e Pedro Melo, presidente da KPMG.

O evento contou ainda com um painel que discutiu expectativas para a economia do país em 2014, moderado pelo presidente do conselho e do Citibank, Hélio Magalhães. O debate contou com os pontos de vista dos conselheiros Donna Hrinak, André Gerdau, Reinaldo Garcia, presidente da GE, e Marco Antonio Stefanini.

  


 



 

registrado em: