Pernambuco investe em projeto de infraestrutura de longo prazo

por dirceu_neto — publicado 28/06/2013 15h42, última modificação 28/06/2013 15h42
Recife- Secretário estadual de Transportes participou do Seminário de Logística promovido pela Amcham em 26/06
foto__42_.jpg

Apesar de situado numa posição geográfica privilegiada e de seu desenvolvimento econômico, Pernambuco ainda enfrenta dificuldades nos canais logísticos. Além da ampliação das rodovias, o estado tem investido na melhoria da malha ferroviária e marítima como parte de um projeto de infraestrutura de longo prazo.

O Secretário de Transportes de Pernambuco, Isaltino Nascimento, participou do Seminário de Logística promovido pela Amcham-Recife na última quarta-feira (26/06) e apontou as estratégias do estado para o desenvolvimento do setor logístico. O Secretário afirma que entre 2013 e 2014 serão investidos R$ 1 bilhão na implantação, restauração e duplicação de estradas. A malha viária de Pernambuco é formada por 142 rodovias, totalizando 9.978,3 km de extensão dentre rodovias pavimentadas, em leito natural e implementadas.

Leonardo Cerquinho, Diretor de Gestão Portuária do Complexo Industrial Portuário de Suape, acredita que Pernambuco tem uma localização singular. “Suape é um porto concentrador de cargas – hub port. Possui conexões diretas com Rotterdam, Durban e Nova York, além de estar no centro logístico do nordeste brasileiro”, explica. A movimentação de cargas em 2011 e 2012 foi de mais de 22 milhões de toneladas. A projeção para 2014 é que o porto receba cerca de 30 milhões.

Para Fernando Perez, Diretor de Negócios do Cone S.A – empresa do setor de logística e serviços localizada em Suape, muito ainda precisa ser feito. “Pernambuco é um estado importante e que tem a característica de atrair operações, mas hoje não possui nenhuma ferrovia operando regularmente, o que complica o transporte de cargas. A questão aérea também é outra característica que ainda é pouco explorada.”, afirma.

De acordo com Isaltino Nascimento, a integração da Transnordestina e a transposição do Rio São Francisco vão facilitar os investimentos no interior do estado. “O grande problema pro empreendimento se estruturar no Sertão e no Agreste é a água. A Transnordestina também vai facilitar, pois o transporte de toda produção da região será feita por trens ao invés de caminhões”. Ele também destaca o plano de investimento em aeródromos. Pernambuco possui hoje 18 aeroportos espalhados pelo estado, mas o governo prevê a ampliação de 7 deles, além da construção de uma nova base aérea na cidade de Salgueiro, no sertão pernambucano.

Ana Isabel Machado, Project Management Professional da Alpargatas, acredita que o futuro da logística no estado é promissor. “No futuro serão oferecidas novas e vastas oportunidades para aqueles que desenvolverem inovação tecnológica, gerenciamento de alto nível de forma confiável e a custos competitivos e ainda a melhoria contínua do nível de serviço.”, acrescenta.

registrado em: