Amcham debateu melhora do ambiente de negócios e contribuiu para aprofundar relação Brasil-EUA em 2011

por andre_inohara — publicado 22/12/2011 15h25, última modificação 22/12/2011 15h25
São Paulo – No Brasil, Amcham ajudou a organizar o diálogo do presidente americano Barack Obama com a iniciativa privada.

A atuação da Amcham para a melhoria do ambiente de negócios e reforço das relações entre o Brasil e os Estados Unidos foi marcada por vários eventos em 2011.

A entidade promoveu por todo o País uma série de debates sobre as carências estruturais da economia brasileira, reunindo políticos e empresários.

Nesse ano, a câmara também firmou parcerias com a União e governos estaduais para incrementar a promoção comercial e estimular os investimentos bilaterais.

A contribuição da Amcham para o estreitamento das relações com os Estados Unidos foi verificada em especial na participação em eventos como a visita do presidente americano Barack Obama ao Brasil e a organização de reuniões de trabalho entre autoridades americanas e a iniciativa privada brasileira.

A objetividade das iniciativas foi reconhecida por políticos e empresários, que participaram dos eventos tanto como convidados ou palestrantes.

A visita do presidente Obama ao Brasil

Durante a visita do presidente Barack Obama ao Brasil em março, a Amcham foi uma das entidades responsáveis por organizar o diálogo do líder americano com o setor privado brasileiro.

Em encontro feito em parceria com o US Business Council e a Confederação Nacional da Indústria (CNI), Obama proferiu seu único discurso endereçado diretamente ao setor privado e focado em aspectos econômicos no País. A presença de Obama no Brasil representou a elevação do Brasil ao patamar de parceiro estratégico dos Estados Unidos, avalia a área de Relações Governamentais da Amcham.

Tal como é feito com Índia e China, o primeiro escalão do governo americano abriu um canal de diálogo direto com a contraparte brasileira.

Autoridades americanas dialogaram com o setor privado na Amcham

Ao longo do ano, autoridades americanas vieram ao Brasil dar sequência à agenda de entendimentos com o governo brasileiro, estabelecida durante a visita de Obama.

Muitos deles aproveitaram para dialogar com o setor privado brasileiro por meio da Amcham.

Entre eles, estiveram o secretário de Comércio, Gary Locke, em março (e que assumiu a embaixada dos EUA na China em agosto) e a subsecretária de Estado para o Hemisfério Ocidental, Roberta Jacobson (setembro).

O secretário-adjunto de Energia dos Estados Unidos, Daniel Poneman, também esteve na Amcham em agosto para tratar da cooperação estratégica setorial entre os dois países.

O incremento ao comércio e investimentos bilaterais

A Amcham também atuou no incremento de promoções comerciais. Em setembro, assinou um memorando de entendimento com o Itamaraty (Ministério das Relações Exteriores) para um acordo de cooperação técnica em ações de promoção comercial entre Brasil e Estados Unidos.

A parceria foi oficializada durante o coquetel de lançamento do projeto ‘How to do Business in Brazil’ em Brasília.

Além disso, o aquecimento da economia brasileira atraiu governadores americanos interessados em investimentos e negócios brasileiros em seus respectivos estados.

O governador de Indiana, Scott Miller, esteve no Brasil em abril, quando falou das vantagens que seu estado oferece a empresas brasileiras de tecnologia.

Muitas das informações estão descritas no guia “How to Invest in Indiana”, publicação feita pela Amcham em parceria com o Estado de Indiana.

Em outubro o governador da Flórida, Rick Scott, veio a São Paulo para reforçar o comércio com o Brasil, maior parceiro comercial desse estado. Para Scott, a Flórida é uma porta de entrada de produtos e serviços brasileiros para o mercado americano.

Já Deval Patrick, governador de Massachusetts, esteve no Brasil em dezembro em busca de projetos inovadores brasileiros.

Competitividade Brasil

Como parte do esforço de melhoria do ambiente de negócios, o departamento de Relações Governamentais da Amcham apresentou o programa ‘Competitividade Brasil – Custos de Transação’ a parlamentares de diversos estados.

Alguns desses parlamentares participaram como palestrantes do projeto, como o senador Cristóvam Buarque (PDT-DF) e os deputados federais Newton Lima (PT-SP) e Reinhold Stephanes (PSD-PR) no evento ocorrido em Brasília.

O deputado federal Odair Cunha (PT-MG) ajudou a articular a apresentação do projeto de competitividade para parlamentares mineiros de diversos partidos.

Um dos eventos de competitividade ocorreu em Belo Horizonte e apontou algumas das dificuldades logísticas que Minas Gerais possui em termos de infraestrutura logística.

Havia 16 deputados mineiros que quiseram conhecer os resultados da pesquisa de competitividade em Minas Gerais. Em Brasília, a Amcham teve a oportunidade de divulgar um pouco desse trabalho.

No Congresso Nacional, a Amcham apoia o projeto de lei 149/2011 da senadora Vanessa Grazziotin (PC do B-AM), que prevê que as empresas que investirem em qualificação de funcionários poderão deduzir o valor do imposto de renda pessoa jurídica (IRPJ).

Agências reguladoras

A Amcham também atua em outra frente institucional, a da melhoria do desempenho das agências reguladoras do governo.

Por meio de forças-tarefa, fóruns de discussão criados para buscar soluções pontuais através de projetos e propostas que influenciem políticas públicas, a Amcham está estudando uma parceria com a Casa Civil da Presidência da República.

O governo federal, por intermédio da Casa Civil, iniciou o Programa de Fortalecimento da Capacidade Institucional para Gestão em Regulação - PRO-REG, para fortalecer a gestão em regulação.

O trabalho da Amcham de avaliação de agências reguladoras colocou a entidade em contato com a Casa Civil, para estudos de criação de um marco regulatório das agências.

A Casa Civil quer que as agências sejam órgãos ocupados por quadros técnicos, e não políticos.

Desde 2005, a Amcham realiza pesquisas junto às empresas associadas sobre o desempenho das agências reguladoras dos respectivos setores.

A Casa Civil quer contar com essa experiência, usando o trabalho da Amcham como base para a regulação e proposta de melhoria das agências. Ainda não há um cronograma de implantação, mas as conversas estão evoluindo.

 

registrado em: