Crescimento chinês definirá perspectivas comércio exterior brasileiro em 2014

publicado 04/04/2014 14h29, última modificação 04/04/2014 14h29
Curitiba - Associação que reúne empresas do setor, AEB alerta: sem fazer dever de casa, solução é rezar, de preferência em mandarim

Realizar reformas estruturais (tributária, trabalhista e previdenciária);  desburocratizar e criar políticas integrada, são alguns dos desafios do governo e do comércio exterior  brasileiro. Diante deste cenário, a Amcham-Curitiba recebeu José Augusto de Castro, presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB) para discutir as Perspectivas do Comércio Exterior para 2014 ( confira aqui a apresentação completa) .

Amparado em dados da Organização Mundial de Comércio (OMC), que projetam em 3% o crescimento do comércio mundial para este ano, José Castro alerta: apesar de sermos um exportador de peso, precisamos eliminar o Custo Brasil. Sem fazer o dever de casa, a solução é rezar, de preferência em mandarim, conclui.

A seguir, a íntegra da apresentação do executivo no Comitê de Comércio Exterior, realizado na Amcham-Curitiba, no dia 28/3: 

 

registrado em: