Estados Unidos anunciam tratado que deve impulsionar tráfego aéreo com o Brasil

por andre_inohara — publicado 09/04/2012 12h17, última modificação 09/04/2012 12h17
São Paulo – Acordo de Céus Abertos deve aumentar fluxo aéreo de passageiros e cargas entre os dois países.
hilary_clinton.jpg

A secretária de Estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton, anunciou que vai assinar um acordo de cooperação aérea, para promover mais voos entre os dois países e trabalho conjunto em  pontos como expansão de aeroportos, administração do espaço aéreo e segurança.

“O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, e eu assinaremos um memorando para parceria. Achamos que essa relação é vitoriosa para nossos países e incentivará não apenas a indústria aérea e viagens de negócios  mas também mais turismo e intercâmbio”, destacou a secretária, durante o seminário ‘Brasil-EUA: Parceria para o Século 21’ em Washington (EUA) nesta segunda-feira (9).

O encontro é promovido pelo Itamaraty, em parceria com a US Chamber of Commerce, Amcham e CNI (Confederação Nacional da Indústria).

Veja aqui: Governo dos EUA anuncia programa para agilizar entrada de brasileiros

EUA vão agilizar processo de visto de brasileiros, anuncia Obama

O Ciência Sem Fronteiras

Outro ponto alto da fala da secretária americana se cocentrou no programa Ciência Sem Fronteiras, pelo qual cerca de 100 mil brasileiros estudarão no exterior, sendo 20 mil nos EUA ao longo dos próximos quatro anos.

Hillary disse que os Estados Unidos apóiam o programa, e que o seu país também trabalha para enviar alunos para o exterior, incluindo a América Latina e o Caribe.

“O Ciência Sem Fronteiras [programa de intercâmbio do governo que vai financiar o estudo de 100 mil universitários brasileiros nos principais centros tecnológicos do mundo] vai trazer milhares de alunos brasileiros para estudar engenharia, tecnologia, física e matemática em nossas principais universidades, e queremos mais nos próximos anos”, afirma.

“A interação entre o sul e o norte é uma das chaves para compartilhar o futuro. O programa de intercâmbio prepara a mão de obra como a economia global requer”, acrescentou a secretária.

registrado em: