Goiás mostra oportunidades a investidores em evento na Amcham

publicado 03/12/2014 15h07, última modificação 03/12/2014 15h07
São Paulo – Estado quer desenvolver cadeias produtivas das companhias instaladas em solo goiano
dennis-hankins-7134.html

O estado de Goiás está em busca de novos investidores e parceiros para suas empresas. A Secretaria de Indústria e Comércio de Goiás mostrou oportunidades a empresários em um evento na Amcham – São Paulo, quarta-feira (26/11). O objetivo é expandir as cadeias produtivas em solo goiano, abrindo caminhos para fornecedores e, num futuro, para a chegada de novas companhias.

A logística e os incentivos fiscais são os grandes atrativos goianos para negócios, afirma William O’Dwyer, secretário de Indústria e Comércio de Goiás. Ele destaca que o estado está no centro-oeste do país e concentra modais diversos, como estradas, hidrovias, ferrovias. “Em 2015 nosso aeroporto de cargas será o segundo maior do país e isso vai proporcionar completa operação logística”, diz.

Além disso, Goiás conta com o Porto Seco Centro-Oeste, localizado em Anápolis e integrado aos modais que servem o estado. A infraestrutura permite armazenagem horizontal e vertical, possui pátio alfandegário e terminal de minérios e facilidades aduaneiras, entre outros pontos. “Nós viemos como centro de distribuição para todo o país e América Latina”, diz Everaldo Fiatkoski, superintendente adjunto.

O secretário O’Dwyer ressalta que o programa de incentivos fiscais levou grandes investimentos ao estado, que mantém diálogo com o setor privado para efetuar PPPs (parcerias público-privadas). De acordo com ele, os juros financiados são de 2,4% ao ano, com incentivos até 2040. “O grande segredo de Goiás para atrair investimentos são os incentivos e benefícios fiscais para a indústria”, declara.

“Hoje precisamos de mais hotéis de luxo na capital e resorts e de empresas de embalagens para o setor farmacêutico, que tem forte presença no estado”, complementa O’Dwyer.

O Centro-Oeste é um local de destaque para investimentos e comércio internacional, comenta o cônsul-geral dos EUA em São Paulo, Dennis Hankins, que também participou do evento. “Há ligações estratégicas em que Goiás é importante. A população mundial deve ultrapassar 9 bilhões de habitantes, em 2050, e a pergunta é como vamos alimentar todo mundo? Goiás é o foco”, diz.

Também participaram do encontro Emílio Bittar, presidente da Coming; Cláudio Faria, presidente da Empresa Rio Branco Alimento S.A.; e Mauro Correa, vice-presidente da Hyundai (CAOA), que falam sobre a instalação de suas empresas no estado.

Edwal Portilho, diretor executivo da ADIAL (Associação Pró-Desenvolvimento Industrial de Goiás); Pedro Arantes, diretor executivo da FAEG (Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás); e Manuel Xavier, superintendente executivo do SEBRAE/GO, abordaram aspectos do ambiente de negócios goiano.

registrado em: ,