JBS-Friboi está confiante na evolução do diálogo Brasil-EUA no setor de agronegócios

por daniela publicado 19/03/2011 14h56, última modificação 19/03/2011 14h56
Daniela Rocha
Brasília-Para Wesley batista, CEO do grupo, é preciso remover barreiras protecionistas.

O presidente da companhia brasileira produtora de carnes JBS-Friboi, Wesley Batista, está confiante no aprofundamento do diálogo entre o Brasil e os Estados Unidos no setor de agronegócios a partir da visita de Barack Obama ao País. Segundo ele, barreiras protecionistas e subsídios devem ser removidos.

“É preciso evoluir na política de livre comércio dos agronegócios. O protecionismo nesse setor leva a desigualdades sociais”, afirmou Batista na Cúpula Empresarial Brasil-Estados Unidos, evento promovido por Amcham, Confederação Nacional da Indústria (CNI) e Brazil-US Business Council, em Brasília, neste sábado (19/03). O encontro faz parte da agenda do presidente americano no Brasil.

Batista enfatizou que Brasil e EUA, com grandes áreas cultiváveis, devem se conscientizar sobre a importância que terão no abastecimento de alimentos no mundo, levando-se em consideração o ritmo de crescimento populacional.

Ele também destacou  que o movimento de internacionalização de companhias brasileiras deverá se intensificar, especialmente, no mercado americano. “Os EUA representam um mercado profissional, há muita eficiência nos custos de produção”, destacou.

O JBS-Friboi atua em cinco continentes, empregando 140 mil pessoas. Nos últmos anos, investiu cerca de US$ 6 bilhões nos EUA, incluindo a aquisição da Swift. “Somos uma das maiores operações brasileiras no mercado americano”

 

registrado em: