Missão comercial aos EUA abre novos campos para o agronegócio de Goiás

publicado 25/03/2014 12h29, última modificação 25/03/2014 12h29
São Paulo – Estado divulgou suas potencialidades a investidores e pesquisadores em três estados americanos
antonio-flavio-camilo-de-lima-9111.html

“O Brasil precisa de uma maior participação em eventos como a missão comercial nos EUA de que participamos. É uma grande oportunidade para mostrarmos o que temos a oferecer, em termos de negócio, a outros países”, afirma o secretário de Agricultura de Goiás, Antônio Flávio Camilo de Lima.

Ele voltou dos Estados Unidos, no início de março, onde participou da missão comercial que a Amcham – Brasil organizou para divulgar o agronegócio do Centro-Oeste brasileiro.

Entre 22 de fevereiro a 5 de março, a Secretaria de Agricultura (Seagro) esteve em Missouri, Arkansas e Texas, com a Secretaria de Indústria e Comércio (SIC), representada pelo secretário executivo do gabinete PromoGoiás, Leantho Limírio Gonçalves. O time contou, ainda, com representantes das empresas Alca Foods, Porto-Seco Centro-Oeste e Hermano Advogados Associados (leia mais detalhes da programação aqui).

Lima diz que fez bons contatos e a agenda foi muito bem sucedida e, agora, cabe às pastas darem sequência às negociações. “Os EUA são um dos mais importantes parceiros do Brasil e um dos fomentadores do nosso desenvolvimento, não só pela tecnologia avançada, mas também pelo interesse comercial”, complementa.

Segundo Lima, a programação foi pertinente aos negócios que o estado pretendia enfatizar, como a produção de alimentos e de industrializados. “Esse profissionalismo (na agenda) reforçou muito o aspecto produtivo da missão, sobretudo pela condução dos trabalhos”, avalia.

Contatos

Lima se encontrou com pesquisadores que trabalham com desenvolvimento genético de plantas, o que interessa aos produtores locais. “Além do resultado específico, recebemos oportunidade de estreitar relacionamento com as entidades, para que as mesmas ações sejam realizadas no estado”, cita o titular da Seagro.

Houve contatos, ainda, sobre a produção animal, especialmente a avicultura e a bovinocultura de corte.

Os representantes do governo apresentaram as oportunidades de Goiás a empresários e consultores, em palestras e reuniões. Por parte dos americanos, diz Lima, houve interesse de investimento também em armazenamento de grãos, disponibilização de maquinários para produção e fornecimento de produtos industrializados para o mercado americano.

“Recebemos vários questionamentos sobre oportunidades de negociações dos americanos com os brasileiros. Não apenas em relação à venda de produtos ao Brasil, mas também sobre a abertura de mercado para os produtos brasileiros nos EUA e outros países, com intermediação de agentes americanos. Foi apresentado um contexto múltiplo de conhecimentos da parte empresarial”, detalha o secretário.

registrado em: