Prefeito de Los Angeles (EUA) defende voos diários entre a cidade e São Paulo para incrementar turismo e negócios com o Brasil

por andre_inohara — publicado 04/12/2012 17h35, última modificação 04/12/2012 17h35
São Paulo – Antonio Villaraigosa esteve na Amcham na última semana e destacou que a metrópole quer parceiros brasileiros e oferece conexão de exportadores para a Ásia.
antonio_villaraigosa_195.jpg

Em visita à Amcham-São Paulo na última semana (em 29/11), o prefeito de Los Angeles, Antonio Villaraigosa, defendeu fortemente o restabelecimento de um voo direto diário entre São Paulo e a metrópole americana.

De imediato, a rota comercial traria fontes adicionais de receitas para as companhias aéreas. Em longo prazo, a consolidação da linha serviria também como importante conexão para as empresas brasileiras que vendem produtos à Ásia, argumentou.

“Estamos batendo em algumas portas para encorajar uma companhia aérea a estabelecer uma escala diária [de São Paulo] para Los Angeles”, disse Villaraigosa, durante a reunião com empresários associados à Amcham.

“Um dia de voo diário gera US$ 623 milhões para a economia de Los Angeles, e imagino que algo semelhante aconteça com o Brasil”, argumentou Villaraigosa. Principal cidade da Costa Oeste dos Estados Unidos, Los Angeles quer fomentar comércio, turismo e investimentos com o Brasil e a América Latina.

No Brasil, Villaraigosa se encontrou com representantes de companhias aéreas e também com dirigentes da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), para tratar da criação da rotas.

O prefeito da segunda cidade mais desenvolvida dos EUA também se encontrou com companhias de setores diversos. De acordo com ele, Los Angeles procura parceiros brasileiros em biotecnologia, aviação e biocombustíveis. “Certamente a indústria de etanol é algo a ser focado”, observa Villaraigosa.

Leia mais: Atlanta quer atrair empresas brasileiras oferecendo polo logístico mais movimentado do Sudeste dos EUA e cadeia diversificada de fornecedores

Em busca de parceiros

Mas não são apenas investimentos brasileiros que o prefeito americano busca incentivar. O desenvolvimento da América Latina também está sendo observado, o que pode ser fonte de relações comerciais com toda a região.

“O Brasil será a quinta maior economia em breve, e a classe média crescerá tanto aqui como na Colômbia, Chile e Peru, somando 50 milhões de pessoas nos próximos anos. A relação entre nossas cidades é boa, e teremos vantagem se estreitarmos nossas economias e partilhar do comércio nessa parte do mundo”, detalha Villaraigosa.

Banhada pelo Oceano Pacífico, Los Angeles também pode servir de importante conexão com a Ásia, acrescenta o prefeito. “Vemos oportunidades de mais comércio com o Brasil, particularmente em negócios para açúcar e etanol, e acreditamos que nosso aeroporto seria uma grande conexão para a Ásia, com aumento do fluxo de passageiros e cargas”, comenta ele.

Leia mais: Brasileiro precisa conhecer de perto o mercado chinês para fechar negócios de alto nível no país

Presença do embaixador dos Estados Unidos

O embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Thomas Shannon, também esteve presente ao evento na Amcham, e enalteceu o crescimento da relação entre os dois países. De acordo com Shannon, a perspectiva é que a amizade bilateral seja reforçada, diante da reeleição do presidente Barack Obama.

“O compromisso é de aprofundar nossa relação e procurar novas áreas de colaboração. Dos dois lados, há reconhecimento da importância do comércio e investimento, e ambos vão trabalhar para abrir mais espaço no setor empresarial para a promoção do comércio e investimento bilateral”, afirma o diplomata.

registrado em: