“O período é calamitoso, mas também tem muitas oportunidades”, diz diretor comercial da ARM Logística

publicado 08/05/2020 17h16, última modificação 08/05/2020 17h16
Rio de Janeiro – Saiba os desafios e oportunidades para o setor de logística, um dos essenciais neste período
Entre alguns desafios da logística durante a pandemia, destacam-se o fechamento do comércio, queda no varejo físico e restrição de acesso a alguns municípios.jpg

Entre alguns desafios da logística durante a pandemia, destacam-se o fechamento do comércio, queda no varejo físico e restrição de acesso a alguns municípios

Sem dúvidas, a logística é um dos setores essenciais para o funcionamento das cidades e, diante de momentos de crise, se torna ainda mais relevante. Entretanto, assim como outros segmentos, ela sofre com as diversas consequências das medidas para a contenção do coronavírus. No webinar ‘Impactos da Covid-19: Brasil e Rio de Janeiro’ (27/04), foram abordados os principais desafios e as perspectivas futuras para o setor.  

De acordo com as estimativas da Comissão Econômica para América Latina e Caribe (Cepal), o Brasil já está vivendo com o PIB negativo, com uma queda de 5,2% da projeção inicial”, disse Raquel Araújo, head de Relações Institucionais e Governamentais do Di Blasi, Parente & Associados. Além disso, dados da Confederação Nacional das Indústrias (CNI) mostram que as importações diminuíram 10% entre os meses de fevereiro e março, em relação ao mesmo período no ano passado e 38% das indústrias já enfrentam dificuldades para obtenção de insumos e matérias primas”, completou a especialista. 

No Brasil, o número de medidas que impactam diretamente o setor de logística totaliza 70, dos quais 45 são estaduais e 25 federais. A Região Nordeste lidera com 17 atos, logo em seguida o Sudeste (14), Sul (8), Norte (5) e Centro-Oeste (1)”, pontuou Raquel. Os atos refletem principalmente na queda do faturamento, paralisação parcial ou total da operação e redução da frota em operação.  

“A maior preocupação do Governo Federal foi o fechamento das fronteiras, em como fazer isso de maneira ordenada para ter o controle das mercadorias e como seria o processo”, destacou Raquel. Os principais conteúdos das medidas foram: 

- Suspensão dos prazos processuais; 

- Isenção da realização de reuniões; 

- Orientações e suspensões das atividades burocráticas; 

- Interrupção de prazos de processos e procedimentos; 

- Medidas temporárias sobre circulação e transporte. 

 

RIO DE JANEIRO 

O Governo do Estado decretou 11 medidas que impactaram o segmento, como restrições no transporte público, fechamento de divisas, proibição da circulação interestadual e barreiras sanitárias. Além dos outros setores paralisados, uma das grandes preocupações é o setor de Óleo & Gás, responsável por grande parcela de contribuição na economia do estado.  

Em Macaé, um dos principais municípios produtores do país, a atividade petroleira continua funcionando por ser considerada como essencial, mas segue algumas restrições: 

- Suspensão das atividades laborais, decorrentes da indústria de Óleo & Gás onshore; 

- Dispõe sobre a criação de barreiras sanitárias nos referidos acessos ao município; 

- Proíbe o acesso e desembarque de pessoas com sintomas compatíveis com os do Coronavírus no município.  

 

OPERAÇÃO NA PRÁTICA 

“Embora o período seja calamitoso, existem muitas oportunidades”, introduziu Rafael Sesto, diretor comercial da ARM Logística. “Entre alguns desafios, destacam-se o fechamento do comércio e, consequentemente, a queda no varejo físico; restrição de acesso a alguns municípios, e as novas regras na entrada nos locais de coleta, como a medição de temperatura e entrevistas com os motoristas”, salientou o diretor.  

De acordo com Sesto, a grande oportunidade é realmente se voltar para o e-commerce. “Houve um aumento da demanda online, mas ao mesmo tempo, também aumentou o tempo de entrega dos produtos, exatamente pelas restrições citadas anteriormente”, ressaltou. Entre os produtos mais buscados estão produtos de higiene e limpeza, brinquedos e jogos, alimentos e roupas.  

“O e-commerce vinha crescendo entre 12% e 16% semestralmente. A mudança de comportamento já era esperada e a pandemia acelerou bastante o processo”, disse o especialista. Por isso, meu conselho é: varejistas que ainda não possuem canais de venda online comecem a olhar para isso. Procurem empresas de logística especializadas em armazenagem e transporte porque esse caminho não tem volta”, concluiu Sesto 

 

O QUE SÃO OS WEBINÁRIOS?

São transmissões ao vivo de bate-papos e entrevistas, exclusivos online, sobre diversos assuntos do mundo empresarial.

PARA QUEM SÃO?

Para todos os associados, sem limites de participantes, sendo encontros online e gratuitos.

COMO FUNCIONAM?

São diversas atividades online ao ano disponibilizadas em tempo real e através da plataforma Amcham Connect.