Amcham lidera grupo de 25 executivos na 1ª Missão de Compliance nos EUA. Confira Diário de bordo

publicado 14/09/2016 14h10, última modificação 14/09/2016 14h10
São Paulo - Capacitação internacional inclui encontros com especialistas de empresas, universidades e instituições referências em programas anticorrupção
compliance-pic01.jpg-536.html

A Amcham lidera nesta semana, de 11 a 16/9, time de 25 executivos brasileiros em sua 1ª missão empresarial de Compliance nos EUA. Com passagem em Nova York e Washington, a agenda inclui encontros com especialistas de grandes empresas, universidades e instituições referências em programas de integridade e anticorrupção. 

A programação da missão conta com reuniões de levantamento de melhores práticas na AES Corporation, Siemens e Pfizer; encontros de tendências e inovação na PwC, LRN e LexisNexis; e conhecer melhor os requisitos legais de compliance no processo de investimentos no Investment Adviser Association.

O grupo da Missão ainda participa do evento Washington DC Regional Compliance & Ethics Conference, organizado pela The Society of Corporate Compliance and Ethics (SCCE), com as principais autoridades internacionais.

A delegação foi recebida por pesquisadores e professores da New York University School of Law, uma das cinco universidades de direito mais renomadas do mundo.

O TozziniFreire e a LexisNexis são patrocinadoras oficiais da Missão. A Embaixada do Brasil em Washington é apoiadora institucional desta agenda empresarial liderada pela Amcham, junto aos Institutos ARC, ETCO e ETHOS. Ao todo, são 5 dias de visita envolvendo 25 executivos. 

Integram a delegação da Missão de Compliance da Amcham: Brickstone, SMX International, Queiroz Galvão Construtora, PromonLogicalis, Jequitibá Investimentos, LexisNexis, Innovativa Assessoria, Banco Bradesco, Grupo Boticário, Votorantim S.A., CEMIG, Suzano Papel de Celulose, Duke Energy Brasil, China Construction Bank (Brasil) Banco Múltiplo S/A, e os escritórios de advocacia Zilveti; Vella Pugliesi Buosi Guidoni; WFaria; David Rechulski, Lemos e Associados; TozziniFreire; Trench Rossi e Watanabe; e Rothman Sperling Padovan Duarte.

Confira Diário de Bordo, com alguns destaques da agenda da Missão de Compliance da Amcham:  

Agenda em Nova York, de 11 a 13/9

Reunião na LRN. Para a consultoria, que já atuou em 700 empresas em todo o mundo, o conceito de Compliance ampliou nos últimos anos, deixando de ser apenas uma lista de ações e premissas enumeradas em Código de Ética. Hoje, ações de integridade tem que atingir toda a cultura e níveis da empresa para ser considerado efetivo.  

Siemens. Reunião com Joel Kirsch, VP Associate General Counsel. Para a Multinacional, um bom programa de Compliance exige um departamento Financeiro eficiente e que consiga monitorar precisamente em tempo real todo o fluxo financeiro da empresa, seja de entrada ou de saída. Para Siemens, é o marco zero de um programa eficiente.  

SEC Compliance Consultants. São três pontos fundamentais para ter um bom programa de Compliance: 1) Regras Claras de Procedimentos e Políticas; 2) Revisão, controle e monitoramento das condutas estabelecidas; 3) Efetividade e documentação dos processos.

LexisNexis. Para a multinacional, Compliance é equilibrar conformidades com regras claras, forte políticas internas, independente de pressões comerciais. 

General Eletric. Na visão da companhia, um bom programa de Compliance está diretamente ligado à cultura da empresa, com exemplos e diretrizes fortes da liderança.