Concurso Vídeo Legal abre inscrições para alunos de 10 a 14 anos da rede municipal de São Paulo

publicado 28/02/2014 09h05, última modificação 28/02/2014 09h05
São Paulo – Concurso também será realizado em oito centros de idiomas da rede pública de Brasília
concurso-video-legal-1104.html

Estão abertas as inscrições para a quinta edição do Concurso Vídeo Legal em São Paulo. A proposta do concurso é que os alunos das 554 escolas de ensino fundamental (10 a 14 anos) da rede pública municipal usem a criatividade para filmar vídeos de curta duração sobre os prejuízos que a pirataria causa à sociedade.

Através de exemplo prático, o objetivo do concurso é mostrar às crianças os desafios por trás da criação de uma obra intelectual. Os vídeos produzidos pelos alunos terão que ser entregues às respectivas escolas até 23 de maio, para que elas os enviem à comissão julgadora do concurso. Os jurados vão selecionar os melhores trabalhos e os vencedores serão anunciados em 8 de agosto, na sede da Amcham.

Além do troféu e a publicação dos vídeos vencedores na página eletrônica do concurso, os alunos vencedores terão direito a visitar o Centro de Tecnologia da Microsoft em São Paulo.

As escolas interessadas em se inscrever podem enviar um e-mail para o [email protected] até o dia sete de março.

Concurso em Brasília

Neste ano, o concurso terá a sua primeira edição em Brasília, e envolverá os oito Centros Interescolares de Línguas (CILs) da capital federal. Os 35 mil alunos de nível fundamental e médio das unidades 01 Brasília, 02 Brasília, Brazlândia, Ceilândia, Gama, Guará, Sobradinho e Taguatinga poderão participarão do concurso produzindo vídeos de curta duração tendo como tema os males que a pirataria causa à sociedade.

Os CILs são escolas especializadas no ensino de línguas estrangeiras, como alemão, espanhol, francês e inglês. Eles pertencem à rede pública de ensino do Distrito Federal e seu conteúdo disciplinar é complementar ao ensino de idiomas nas escolas regulares.

Sobre o Vídeo Legal

O Concurso Vídeo Legal surgiu em 2012 como uma iniciativa da Amcham – Câmara Americana de Comércio – e do Consulado dos Estados Unidos em São Paulo, para reconhecer os melhores trabalhos sobre os malefícios causados pela pirataria realizados por alunos de ensino fundamental da rede pública municipal.

Em 2012 e 2013, o Ministério da Justiça concedeu à Amcham o Prêmio Nacional de Combate à Pirataria pelo trabalho de conscientização realizado junto às crianças. O combate à pirataria é uma das bandeiras da Amcham, uma entidade multissetorial com 5 mil empresas associadas que defende um melhor ambiente de negócios no Brasil.

Além do PEL, a Amcham organiza um comitê de Combate à Pirataria em Saúde, onde as empresas se reúnem para discutir e propor ações de combate à falsificação de medicamentos e equipamentos hospitalares.

Anualmente, a Amcham também realiza e divulga uma pesquisa sobre a atuação do INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial) junto às empresas que se relacionam com o órgão.

Veja abaixo as regras do Concurso Vídeo Legal