Energias renováveis são foco de trabalho da USTDA no Brasil em 2011

por giovanna publicado 18/03/2011 09h52, última modificação 18/03/2011 09h52
Salvador – Agência Americana para Comércio e Desenvolvimento revela que Nordeste tem prioridade na destinação dos recursos.

Em 2011, a Agência Americana para Comércio e Desenvolvimento (USTDA) pretende focar investimentos no Brasil nas áreas de energia renovável, transportes, tecnologia da informação e meio ambiente.  De acordo com Gabrielle Mandel, gerente da entidade para Brasil, Peru e Cone Sul, o Nordeste é região prioritária para o aporte de recursos.

“Não temos um montante definido para investimentos no País em 2011 porque o número varia de acordo com a demanda. Hoje, desenvolvemos mais de cem atividades no País. Um dos nossos focos é desenvolver mais parcerias no Nordeste, por isso esta reunião na Bahia”, explica Gabrielle, que participou na última quarta-feira (16/03) de encontro promovido pela Amcham-Salvador com empresários das áreas de tecnologia da informação, serviços ambientais e energia.

De acordo com Gabrielle, no final de março a USTDA relizará missão aos Estados Unidos acompanhando empresários brasileiros para conhecer parques de energia solar naquele país. Outra iniciativa da agência na área energética é um investimento realizado junto à Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) no valor de US$ 710 mil em estudos de viabilidade de implementação de smart grids, redes elétricas capazes de distribuir energia aos consumidores utilizando tecnologia digital.

Gabrielle comentou ainda que a USTDA não apoia projetos relacionados à produção de energia hidroelétrica, pois as empresas brasileiras já são muito competitivas no segmento. “Procuramos investir em setores onde companhias americanas têm algo a acrescentar em termos de novas tecnologias”, diz a executiva.

Responsável pelas atividades da USTDA no Brasil há quatro anos, Gabrielle vê o momento brasileiro com otimismo. A executiva conta que, desde 2009, eleito “ano do Brasil na USTDA”, o País se consolidou como um dos focos mais importantes para a entidade. De acordo com Gabrielle, em 2009 o Brasil se tornou o quinto país no mundo a ter um representante exclusivo na agência americana. O cargo, ocupado hoje por Rodrigo Motta, foi criado graças ao aumento do portfólio de atividades da USTDA no Brasil.