Governo de Pernambuco aposta em parcerias internacionais para aprimoramento de novas cadeias produtivas

por marcel_gugoni — publicado 03/08/2012 17h29, última modificação 03/08/2012 17h29
Recife – Finlândia e Itália são alguns dos parceiros para segmentos de metal-mecânica, naval e off shore.
roberto195.jpg

Cadeias produtivas que começaram a se desenvolver nos últimos anos em Pernambuco, como a metal-mecânica e a naval e off shore, contarão com parcerias internacionais para seu adensamento no Estado. A estratégia é buscar principalmente o aperfeiçoamento tecnológico das cadeias, conforme explica Roberto Abreu, secretário executivo de Desenvolvimento de Negócios da Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (Sdec). 

Veja aqui quais são as vantagens de ser sócio da Amcham

“Na cadeia metal-mecânica, está se desenhando uma parceria com a região da Lombardia, porção norte da Itália. O projeto prevê a integração de pequenas e médias empresas italianas e de Pernambuco de acordo com as demandas na área de metal-mecânica das grandes companhias que em instalação em Suape”, afirmou Abreu durante o Suape Business Meeting, realizado pela Amcham-Recife em 26/07. 

Leia mais: Plano de mobilidade objetiva aprimorar competitividade do Porto de Suape

O secretário comenta que a Sdec fará um diagnóstico do potencial das empresas pernambucanas para entender à demanda daquelas que estão em instalação na região portuária de Suape. “Com isso, identificaremos as lacunas a serem preenchidas através da parceria, seja com formação de joint ventures, transferência de tecnologia ou eventualmente a vinda de empresas da Lombardia para Pernambuco”, completa. 

Quer participar dos eventos da Amcham? Saiba como se associar aqui

Já para a cadeia naval e off shore, o principal parceiro a ser procurado será a Finlândia. “Tanto essas cadeias quanto a metal-mecânica ainda carecem de um maior nível de aperfeiçoamento tecnológico, principalmente aqui em Pernambuco. No caso da Finlândia e da Itália, o nível tecnológico dessas empresas é bastante significativo em relação às nossas”, disse. 

Desenvolvimento local 

Além das parcerias internacionais, a Sdec lançou, em conjunto com outras secretarias de governo, plataformas de monitoramento das novas cadeias que determinam os focos estratégicos para seu aperfeiçoamento. No caso da metal-mecânica, são prioridades os investimentos em P&D, inovação empresarial, desenvolvimento de fornecedores, qualificação de mão de obra e atração de novas empresas. 

Leia também: São Paulo abre temporada de caça aos investimentos, diz Afif

A implantação do Instituto Nacional de Tecnologia de União e Revestimento de Materiais (INTM) no campus da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) é um dos destaques do plano de ação de adensamento das cadeias citado por Abreu e deve começar já em 2013.