Planejamento tributário requer conhecimento de normas e controle de custos

por giovanna publicado 09/12/2010 16h23, última modificação 09/12/2010 16h23
Porto Alegre – É preciso preparar o negócio, o que envolve conhecer normas regulatórias e controlar custos, explica consultor.
wulff_junior.jpg

Em uma realidade em que a carga tributária gira em torno de 35% a 40% sobre o faturamento das companhias, a prática do planejamento tributário, ou seja, organização para economizar recursos consumidos sob a forma de impostos, pode representar um importante alívio, garantindo lucros maiores aos acionistas.

É preciso, porém, preparar o negócio, o que envolve conhecer normas regulatórias e controlar custos, explica Luis Alberto Buss Wulff Junior, sócio-diretor da consultoria empresarial Studio Fiscal, que participou nesta quinta-feira (09/12) do comitê de Finanças da Amcham-Porto Alegre.

“Para desenvolver um planejamento tributário, inicialmente é preciso organizar o negócio, limpando todos os problemas operacionais na área contábil e fiscal. Depois de revisar os tributos diretos e indiretos, aparecem alguns benefícios para a companhia e, a partir disso, ela parte para uma linha de planejamento em que se aplica o conhecimento à legislação fiscal, somado ao da legislação societária”, disse Wulff.

O consultor explica que, no caso das empresas de menor porte, o planejamento pode ser realizado de forma menos complexa, com adesão ao regime Simples, que permite o pagamento unificado de um conjunto de impostos.