Quinta edição do Concurso Vídeo Legal envolve mais de 500 alunos em São Paulo e Brasília

publicado 11/08/2014 10h11, última modificação 11/08/2014 10h11
São Paulo – Vencedores de São Paulo e Brasília visitarão Centro de Tecnologia da Microsoft
5a-edicao-do-concurso-video-legal-9503.html

Encerrado na sexta-feira (8/8), a quinta edição do Concurso Vídeo Legal envolveu cerca de 520 alunos em São Paulo e Brasília. Em São Paulo, 120 alunos da rede municipal de ensino fundamental se reuniram em grupos para criar vídeos sobre os prejuízos da pirataria, e em Brasília foram 400 alunos pré-adolescentes dos CILs (Centro Interescolar de Línguas), rede complementar de ensino do Distrito Federal. A cerimônia de premiação aconteceu na Amcham – São Paulo, na presença de alunos participantes e patrocinadores.

Dos dez vídeos sobre pirataria produzidos pelos alunos e selecionados para a fase final, seis foram premiados. Dennis Hankins, cônsul dos Estados Unidos em São Paulo, reforçou que o objetivo do concurso é mostrar aos alunos que produzir uma obra intelectual requer esforço, e os autores têm o direito de serem recompensados pelo trabalho. O consulado dos EUA no Brasil é um dos apoiadores do concurso, ao lado do Escritório de Marcas e Patentes dos EUA (USPTO, na sigla em inglês).

“Fazer um vídeo, uma música ou qualquer outro produto dá trabalho. E as pessoas que os produziram têm o direito de desfrutar de suas criações”, reforça. “Como futuros diretores, atores ou escritores, espero que se sintam estimulados”, dirigindo-se aos alunos presentes.

Além do consulado, empresas como Eli Lilly, Microsoft, HP e Walt Disney Company apoiaram o projeto. O Sport Club Corinthians Paulista, a Secretaria Municipal de Educação de São Paulo e o ETCO (Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial) também fazem parte das instituições patrocinadoras.

Os estudantes vencedores de cada categoria ganharam o direito de visitar o Centro de Tecnologia da Microsoft, e se juntam aos ganhadores da etapa de Brasília. Os seis trabalhos vencedores foram:

Categoria 1 (10 a 12 anos)

1. EMEF (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Professor Máximo de Moura – Pirataria? Direitos autorais? O que é isso?

2. EMEF Doutor José Dias da Silveira – Jornal Zé Dias

3. EMEF Professor Primo Páscole Melaré – A natureza pede passagem

Categoria 2 (12 a 14 anos)

1. EMEF Professora Sylvia Martin Pires – Um vício Pirateado

2. EMEF 8 de maio – A velha pirataria

3. EMEF Zilka Salaberry de Carvalho – Zilka news em pirataria moderna

Novidades

A quinta edição do concurso trouxe novidades. Pela primeira vez, a disputa aconteceu em outra cidade. A capital federal Brasília foi a escolhida, e o trabalho vencedor foi ‘Cuidado, óculos pirata’, do CIL 1 de Brasília.

A embaixadora dos EUA no Brasil, Liliana Ayalde, participou da cerimônia e disse que a proteção à propriedade intelectual é a base da economia mundial. “A criação de ambientes de inovação e proteção de ideias é uma prioridade dos governos, pois ajuda a crescer a economia dos EUA e Brasil”, afirma.

Em São Paulo, além dos vencedores, foram anunciados os vídeos mais votados da internet. Com 11.192 acessos, o curta ‘Zilka news em pirataria moderna’, da EMEF Zilka Salaberry de Carvalho, foi o que mais recebeu votos na categoria 2. O mais votado da categoria 1 foi o vencedor ‘Pirataria? Direitos autorais? O que é isso?’, da EMEF (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Professor Máximo de Moura, com 1.867 votos.