"Recife Competitivo" pauta evento Amcham com empresários e prefeito Geraldo Júlio

publicado 26/01/2017 16h34, última modificação 26/01/2017 16h34
Recife - Encontro contou com apresentação de pesquisa inédita apontando desafios e vantagens da capital pernambucana
recife-pic01.jpg-8378.html

O ambiente de negócios na capital pernambucana foi o tema do evento Recife Competitivo, promovido pela Amcham, na quarta-feira (18/1), reunindo empresários, executivos e o prefeito da Cidade, Geraldo Júlio. No encontro, foi apresentada pesquisa inédita da Amcham, apontando vantagens e desvantagens que interferem no desenvolvimento da competitividade do Recife. O prefeito Geraldo Júlio e o consultor e conselheiro da Amcham Recife Francisco Cunha são os convidados para debaterem o assunto.

“Estamos dando continuidade a programas de capacitação profissional e de educação que oferecem tablets e até disciplinas de robótica e raciocínio lógico nas escolas da rede municipal. Acreditamos que isto é investir no capital humano e intelectual dos futuros profissionais”, explicou o prefeito, reconhecendo que itens como infraestrutura e mobilidade metropolitana terão que ser repensados e ajustados a médio e longo prazo.

O conselheiro da Amcham Francisco Cunha destacou que a cidade perdeu 14 posições, de acordo com pesquisa da Endeavor, no ranking de cidades que incentivam o empreendedorismo. “O Recife é uma potência regional no setor de economia e de inovação. Temos que investir mais nisso para nos tornarmos uma capital mais competitiva”, ressaltou Cunha.

Pesquisa RECIFE COMPETITIVO  

Na pesquisa da Amcham Recife, 68% dos empresários consultados avaliam que a capital pernambucana é hoje menos competitiva do que outras capitais brasileiras. Neste comparativo, cerca de 30% dos entrevistados destacaram que falta uma rede integrada de transportes no município, além de 28% deles acharem que a cidade apresenta uma defasagem em relação a aspectos de infraestrutura.

Entre as vantagens competitivas elencadas pelos entrevistados estão o Aeroporto Internacional dos Guararapes e o Porto de Suape. Ainda destacando como pontos positivos, 26% dos pesquisados apontaram como importante a instalação de grandes empresas na Região Metropolitana do Recife; e 27%, a mão de obra qualificada.

Os gestores e tomadores de decisão dentro das instituições destacaram como prioridades investimentos e ações em prol da mobilidade metropolitana (28%), da concessão de incentivos fiscais (18%) e melhorias na rede de infraestrutura e logística (16%). 

Os empresários consultados se mostraram otimistas e 54% afirmaram acreditar na melhoria do ambiente de negócios já em 2017.