De Stonewall para as corporações: por que falamos em orgulho LGBTI+ no mundo corporativo

publicado 25/06/2020 13h44, última modificação 25/06/2020 13h44
Brasil - Entenda como o setor privado precisa se transformar para ser verdadeiramente inclusivo com todas as orientações sexuais e identidades de gênero
politicas de diversidade e inclusao para pessoas lgbt.png

Políticas de diversidade e inclusao para pessoas lgbti+ são um exemplo de ação eficaz por parte das empresas

Em junho, mês do orgulho LGBTI+, muitas empresas publicam seus posicionamentos a favor da diversidade através de filtros em seus ícones em redes sociais, campanhas de doação, postagens com hashtags, e até patrocínio da parada LGBTI+ (que, em virtude da pandemia, foi realizada virtualmente neste ano). Embora posicionamentos como esses sejam importantes para trazer mais luz ao tema da importância da diversidade no mundo corporativo, de nada adianta se a empresa não tiver políticas de diversidade e inclusão que reflitam sobre a realidade LGBTI+ em todas as suas letras e particularidades.

 

COM DADOS, COMO É SER LGBTI+ NO TRABALHO

Uma pesquisa realizada pela Opinion Box em parceria com o LinkedIn em junho de 2019 trouxe dados importantes para reflexão. Enquanto metade dos entrevistados disseram ter assumido sua orientação sexual ou identidade de gênero no trabalho, um quarto das pessoas não revelou a ninguém. O principal motivo é sofrer represália (22%). Na pesquisa, 82% dos entrevistados LGBTI+ apontaram que ainda falta muito para que as empresas os acolham melhor.

Quando falamos em pessoas trans, esse é um ponto de atenção ainda mais evidente. Durante pesquisa em nosso Fórum de Diversidade em 2018, 64% das pessoas que participaram apontaram que havia mais dificuldade em incluir pessoas trans em seus programas de diversidade. 

 

DIVERSIDADE E A IMPORTÂNCIA PARA O NEGÓCIO

Segundo levantamento da consultoria McKinsey, uma pessoa que não fala sobre sua orientação sexual na empresa é 30% menos produtiva. “Essa pessoa não consegue se dedicar 100% às tarefas porque tem que se preocupar em esconder quem é e pensar sempre duas vezes no que vai falar aos colegas para não se comprometer”, explica a fundadora da Transempregos, Maite Schneider, durante nosso Webinar de Diversidade com o tema Comunicação Inclusiva no final de 2019. Algo tão natural para uma pessoa cis e heterossexual, como falar sobre o seu fim de semana, usar o banheiro em que se sente confortável e navegar pela empresa sem ouvir comentários ou piadas sobre sua individualidade não são automáticas para pessoas LBGTI+ que não se sentem seguras no ambiente corporativo. 

Por isso, as empresas têm papel fundamental na inserção da diversidade. São atitudes que mudam vidas e transformam o negócio. Para Yasmin Vitoria, da Salesforce, caso não houvesse apoio durante sua trajetória profissional, ela seria muito mais difícil - Yasmin compartilhou durante o nosso Fórum de Diversidade em 2019 a necessidade do apoio e da colaboração de aliados.

Esse também é o caso de Daniela Mourão, professora da UNESP, que compartilhou sua história em nosso Fórum de Diversidade em 2018. Sua transição aconteceu aos poucos e, quando contou para sua chefe sobre seu processo de transição, recebeu apoio. A própria chefe de Daniela ajudou a explicar o processo para outros colegas, orientando como deveriam tratá-la dali para frente. 

Maitê ainda lembra: “Quando empresas não perdem talentos por não serem inclusivas, elas fazem com que talentos que elas já possuem sejam infelizes”.

 

EMPRESA ARCO-ÍRIS: COMO TRAZER A PAUTA LGBTI+ PARA O NEGÓCIO?

Algo fundamental é empenhar-se para combater a LGBTIfobia através da educação de colaboradores. Isso envolve trabalhar com vieses inconscientes, conscientização e informação. E, mesmo assim, é possível que haja casos relacionados a brincadeiras e piadas que machucam. A consultora de diversidade do Santander, Letícia Kissu, que também já participou de nosso webinar, lembrou: “Se você, aliado, vir alguém fazendo alguma piada desrespeitosa não dê broncas nem se exalte, apenas fale que não entendeu e a pessoa perceberá que não é legal falar aquilo”.

Existem diversas etapas para construir um programa de diversidade e inclusão efetivo para pessoas LGBTI+ e outros grupos. Algumas etapas são fundamentais: diagnóstico de diversidade empresa, análise dos processos de recrutamento e seleção, fortalecer iniciativas de combate ao preconceito, com canais de denúncia anônimos, programas de formação de liderança, entre outros. No caso de pessoas LGBTI+, é preciso entender e estabelecer um diálogo aberto com representantes de cada sigla para entender quais são as principais demandas e dificuldades dessas pessoas dentro de sua empresa. Estudar as pautas reivindicadas socialmente também é fundamental para entender a luta para fora dos muros da empresa.

Para ajudar nessa jornada, produzimos seis e-books exclusivos sobre como a sua empresa pode trazer diversidade e inclusão para o seu negócio. Clique aqui para ver o material completo.

 

APOIO AMCHAM NESSA JORNADA

Para além de conteúdo exclusivo, o pilar de diversidade é fundamental para nós: atuamos junto a nossos associados para provocar a transformação das organizações. Além dos Fóruns de Diversidade, momentos abertos de discussão sobre o assunto e com debates ricos, a Amcham possui um Comitê de Diversidade e Inclusão, com atividades bimestrais. Baixe o nosso aplicativo para ter o nosso calendário em mãos e participar desses encontros.