Capacitação de pessoas e fornecedores é desafio para indústrias no Nordeste, avalia presidente da Kraft Foods na região

por marcel_gugoni — publicado 02/03/2012 09h13, última modificação 02/03/2012 09h13
Recife - Na avaliação dele, esses Estados têm grande potencial para atrair indústrias nacionais e internacionais nos próximos anos.
barbara_miranda_kraft195.jpg

A chegada de grandes indústrias ao Nordeste nos últimos anos tem gerado dois grandes desafios para as companhias: contratar profissionais qualificados, especialmente na área técnica, e encontrar fornecedores que atendam as especificações técnicas de produtos e serviços. Esta é a avaliação de Bárbara Miranda, presidente da Kraft Foods Brasil no Nordeste. 

Leia também: Amcham-Recife empossa Conselho Regional para 2012

“Muitos insumos com os quais trabalhamos têm características técnicas que já foram desenvolvidas em fornecedores do Sul e do Sudeste”, disse Bárbara durante a cerimônia de posse do Conselho Regional da Amcham-Recife, realizada nesta quarta-feira (29/02). 

“Quando buscamos esse tipo de fornecimento no Nordeste, ou se gasta muito tempo desenvolvendo o material ou não conseguimos encontrar um fornecedor. Este é um desafio para todas as indústrias na região e deve ser solucionado em médio e longo prazo.” 

Apesar dos desafios, Bárbara reconhece que a região Nordeste, juntamente ao Norte do País, tem grande potencial para atrair indústrias nacionais e internacionais. 

“Os 16 Estados que compõem estas regiões, juntos, formariam um país com 70 milhões de habitantes, maior do que a Colômbia, por exemplo. O Produto Interno Bruto (PIB) equivaleria ao terceiro maior da América Latina”, calculou. 

Ela aponta que o crescimento do PIB regional acima da média nacional, os programas governamentais de desenvolvimento, os benefícios fiscais e os investimentos privados são fatores que indicam um mercado favorável para os próximos anos no Nordeste. 

Pernambuco

Considerado um dos Estados que capitaneiam o desenvolvimento regional, Pernambuco registrou nos últimos quatro anos de crescimento superior à média nacional. 

Márcio Stefanni, diretor presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper), que também esteve presente ao evento da Amcham, diz que “um dos principais desafios para o Estado daqui para a frente será incluir a população no desenvolvimento trazido pelas empresas”. 

Consumidor local 

Entender o consumidor desses mercados e adaptar os produtos à sua realidade são ações essenciais para o sucesso da indústria no Nordeste. “Os consumidores locais buscam comprar marcas conhecidas, não gostam de se arriscar na compra. Então é fundamental construir uma relação de confiança na marca”, citou Bárbara, da Kraft Foods. 

Ela elenca ainda outra característica marcante deste consumidor: o desejo de valorização dos elementos da cultural local. “Não me recordo de ter visto um grupo onde as festas regionais, religiosidade, comida, música e cultura sejam tão prezadas”, afirma. 

“As companhias que não se apropriam disso, que não criam laços com essa cultura, não conseguem se aproximar desses consumidores”, concluiu.

Leia mais notícias sobre o assunto:

Empresas buscam 'Chinas' dentro do Brasil para sustentar expansão

Em até dez anos, Pernambuco poderá se tornar mais um pólo industrial do Brasil, avalia presidente da Refinaria Abreu e Lima

Crédito e capacitação são os principais desafios para aproximar PMEs de grandes empreendimentos em PE

Com matriz eólica, Nordeste passará de importador a exportador de energia nos próximos anos

Alimentação, vestuário e beleza devem continuar liderando crescimento do setor de franquias em 2012

Quer participar dos eventos da Amcham? Saiba como se associar aqui

Veja aqui quais são as vantagens de ser sócio da Amcham

registrado em: