Computação em nuvens pode reduzir custos logísticos em até 15%

publicado 07/05/2015 15h09, última modificação 07/05/2015 15h09
São Paulo – Sistema permite mais vantagem se mais de um embarcador fizer operação conjunta, diz executivo
nuvens-foto01.jpg-5560.html

Disponibilizar as informações logísticas em nuvem e operá-las diretamente com a transportadora pode reduzir de 5% a 15% os custos dessa área. A estimativa é de Danilo Campos, CEO da Neolog, que discutiu a utilização do cloud computing em logística durante o comitê aberto de Logística da Amcham – São Paulo, na terça-feira (05/05).

A empresa, que opera R$ 3 bilhões em frete por ano via nuvem, atende a grandes companhias que têm na logística um dos seus maiores custos operacionais. Segundo Campos, planejamento de ações, monitoramento e colaboração entre embarcadores são os três pilares desse serviço.

“A nuvem otimiza todas as ações. A tendência é trazer mais atores para a plataforma para ganhar escala, conectar todo mundo e estar mais estruturado”, comenta.

Estar na plataforma permite maior agilidade na interação entre embarcador e transportador, na coleta ou na distribuição, em fretes inteiros ou fechados e também no monitoramento das cargas, com informações desde o início dos pedidos, diz o executivo.

As possibilidades se ampliam se houver integração de mais de um embarcador no mesmo sistema. “Conseguem-se cruzar as informações e criar um único circuito. Um mesmo frete pode servir a mais de um embarcador”, exemplifica.

Esse modo colaborativo normalmente é praticado por players não concorrentes. “Hoje o mais frequente ainda é operar de forma isolada, mas o conceito futuro é de juntar. A colaboração vem amadurecendo com o tempo”, pontua.

registrado em: