Custos acessíveis tornam eventos corporativos no exterior cada vez mais procurados

por andre_inohara — publicado 22/03/2011 16h57, última modificação 22/03/2011 16h57
São Paulo – Dólar em queda atrai um número maior de empresas que levam seus funcionários para o estrangeiro como forma de motivação.
ricardo_ferreira_1.jpg

Com a desvalorização do dólar, realizar eventos corporativos no exterior virou um bom negócio para as agências de turismo corporativo. Destinos na América do Sul, que possuem boa estrutura hoteleira e turística, começam a ser cada vez mais procurados pelas empresas como forma de motivar seus funcionários.

“Há alternativas na Argentina, no Uruguai e no Chile, que são muito motivantes. O certo é que os eventos são olhados com seriedade”, disse o vice-presidente executivo da agência de viagens Alatur, Ricardo Souto Ferreira, no comitê de Viagens e Negócios da Amcham-São Paulo nesta terça-feira (22/03).

Com o dólar em queda e o aumento do poder de compra, as passagens aéreas e a hospedagem ficaram mais acessíveis. O mercado de viagens está em alta. “As empresas estão aproveitando tanto a oportunidade de mercado como os custos menores da viagem. O movimento de pessoas que nunca haviam viajado para fora está aumentando”, acrescentou Ferreira.

Informalidade, desafio e motivação

No exterior, os eventos organizados pelas empresas costumam ser mais informais, tendo como objetivo motivar as equipes. “Além de ser diferente, essa oportunidade também oferece isolamento”, afirmou Ferreira. Segundo ele, quando se trata de treinamentos internos, é melhor para as empresas buscar locais perto das sedes.

A América do Sul não é o único destino procurado pelas empresas. Ferreira já assessorou uma companhia que levou seus funcionários para Dubai, no Oriente Médio. “Era uma pequena empresa, que nunca havia pensado em fazer algo assim”, disse ele.

Para organizar eventos no estrangeiro, Ferreira afirma que é necessário um planejamento que envolva comunicação em inglês e aderência às normas da empresa. “Ao mesmo tempo em que é desafiante, é motivador.”

Turismo corporativo em alta

O segmento de viagens corporativas representa mais da metade do mercado total de viagens no Brasil, segundo Ferreira. Em um cenário de demanda aquecida, o executivo estima que a Alatur deve crescer entre 15% e 20% neste ano, “sendo conservador”.

Dados da Associação Brasileira dos Gestores de Eventos e Viagens Corporativas (Abgev) indicam que o setor de viagens corporativas somou 56,7% do movimento do turismo nacional em 2010, movimentando R$ 21,2 bilhões. Para este ano, a expectativa é uma expansão de mais 8,5%, que, se confirmada, permitirá totalizar R$ 23 bilhões.

registrado em: