Desenvolver capacidades para tomar decisões evita perdas profissionais e pessoais

publicado 19/03/2015 08h30, última modificação 19/03/2015 08h30
São Paulo – Ferramentas adequadas podem auxiliar o processo decisório, afirma coach César Ayer
cesar-ayer-5669.html

É preciso desenvolver continuamente as capacidades necessárias para as tomadas de decisão, minimizando os riscos de impactos negativos na carreira e até na vida pessoal. O alerta é de César Ayer, especialista em treinamento e desenvolvimento da consultoria Crescimentum.

“Muitos se isentam de tomar decisões por uma série de motivos. Em consequência, podem perder o timing correto da decisão, o que pode levar à perda de oportunidades”, comenta o consultor, que esteve no comitê aberto de Secretariado da Amcham – São Paulo, quarta-feira (18/03).

Vários fatores em conjunto provocam insegurança e afetam a tomada de decisão, segundo o coach. Falta de informações adequadas, medo de erros e críticas e não praticar o processo decisório com frequência são alguns deles.

O especialista indica o uso de ferramentas que organizam o pensamento e auxiliam esse processo. O primeiro passo é pensar em sua identidade e se perguntar como melhorar o próprio processo decisório. Em seguida, deve-se observar seus valores e crenças, que também serão usados como critérios para as escolhas.

Adiante, os profissionais devem questionar quais as capacidades que precisam desenvolver, como organização, planejamento e alinhamento das informações pertinentes ao objeto da decisão. A próxima etapa é a do comportamento, em que se decide.

Fazer e melhorar

“Deve-se avaliar as variáveis que se tem em mãos”, recomenda. “O problema normalmente está nos valores e crenças, o modelo mental: muita gente acredita que é difícil tomar decisões”, pontua.

Outro critério utilizado é a decisão ecológica, em que as decisões impactam a vida das pessoas à sua volta. Ayer destaca que, no secretariado, as decisões são baseadas nas necessidades da liderança. “É necessário levantar muitas informações sobre os líderes para que as decisões sejam as melhores possíveis”, cita.

O consultor ressalta que o aperfeiçoamento desse processo se dá com constância e olhar crítico. O profissional deve avaliar a execução, seus feedbacks, os resultados e desempenhos para buscar a melhoria.

registrado em: