Efeitos da greve dos PMs sobre Carnaval de Salvador e negócios relacionados ainda não é claro

por giovanna publicado 09/02/2012 18h45, última modificação 09/02/2012 18h45
Salvador – Representante da Secretaria de Cultura da Bahia mostra otimismo, enquanto envolvidos em captação de recursos têm receio.
6fb14df1ea4e56c478020f82b12c2c86.jpg

O impacto que a greve dos policiais militares da Bahia pode ter sobre o Carnaval – e os negócios a ele relacionados – ainda não está claro. O seminário “O Carnaval de Salvador como Plataforma de Negócios”, realizado na manhã desta quinta-feira (09/02) pela Amcham-Salvador, mostrou que o governo tem uma visão mais otimista, ao passo que envolvidos na promoção e captação de recursos para a festa se mostram receosos.

Conforme avaliação de Carlos Paiva, superintendente de Promoção Cultural da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (Secult/BA), a paralisação terá pouco efeito no movimento esperado para o feriado.

“Trata-se de um público muito específico, que se envolve muito com o Carnaval. São pessoas que se planejam um ano inteiro para participar da festa e têm um vínculo forte com a celebração, que não se quebra muito facilmente”, afirmou Paiva. “Sabemos que o impacto existe, mas será pequeno. Acredito que a situação deva se resolver em breve, já que o governo está tomando ações para finalizar o problema”, acrescentou.

Já Barreto Júnior, sócio diretor da OCP Comunicação, que trabalha na captação de recursos para o Carnaval soteropolitano, se mostra mais cauteloso. “Se o governo estadual não der garantias de segurança para a realização das festas, é possível que haja um esvaziamento de camarotes e blocos”, declarou.

Barreto comentou ainda que entidades como a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes e a Associação Brasileira de Agências de Viagens já têm registrado baixas no movimento de turistas no local devido à greve.

Apesar desses fatores, o executivo ponderou que, em longo prazo, o episódio não deve prejudicar a imagem do Carnaval de Salvador. “Creio que a imagem do carnaval não sairá arranhada porque já está consolidada tanto na mente do brasileiro quanto do turista internacional”, completou.

Números do Carnaval

O superintendente da Secult/BA comenta que de 2007 a 2012 houve um incremento de 25% no volume de negócios gerados pela festa na cidade. “Nossa previsão para este ano é que R$ 750 milhões devem ser movimentados durante o Carnaval”, explicou.

De acordo com Paiva, são esperados cerca de 500 mil turistas em Salvador nos três dias de Carnaval. “Somando a aproximadamente 500 mil habitantes da capital, temos um público estimado de 1 milhão de pessoas”, calculou.

Atratividade para investimentos

Segundo Barreto Júnior, os segmentos financeiro, de varejo e indústria de bebidas são hoje os maiores investidores nas cotas de patrocínio da celebração. “As marcas estão interessadas em se aproximar de seus consumidores e serem percebidas como investidoras no lazer e entretenimento dessas pessoas”, explicou.

Ele considera como principal atrativo do Carnaval da Bahia sua visibilidade, já que o evento tem grande projeção nacional.

Além do carnaval soteropolitano, a OCP Comunicação participa da promoção dos carnavais de Recife/PE e Vitória/ES.

registrado em: