Companhias precisam criar dinâmica de trabalho mais interativa

por daniela publicado 28/04/2011 17h25, última modificação 28/04/2011 17h25
Porto Alegre - Modelo deve ser aderente aos avanços tecnológicos e da internet, especialmente as redes sociais.
empresas_materia.jpg

Processos, circulação de informações e dinâmica de trabalho devem ser mais aderentes aos avanços tecnológicos e da internet, especialmente as redes sociais. O gerente de Social Business da IBM no Brasil, Mário Costa, defendeu maior interatividade nas organizações ao participar do Fórum de Gestão de Pessoas nesta quarta-feira (27/04), evento que faz parte do IV Ciclo de Decisões da Amcham-Porto Alegre.

“A web mudou a capacidade de interação entre as pessoas e as empresas e seu dia a dia devido à capacidade de divulgação de informação. As pessoas estão conectadas, não os computadores. A tecnologia deve facilitar os processos, mas, se não houver indivíduos, não funciona; por isso, o sucesso das redes sociais. A principal característica dessa mídia é reunir a vida privada e a profissional no mesmo ambiente”, disse Costa.

Conforme o executivo, uma solução para fomentar essa integração dentro das organizações é a criação de redes próprias para o negócio. “O trabalho do social business é catalisar redes de pessoas para criar valor para o negócio. Isso torna os profissionais mais engajados e os processos mais ágeis e transparentes”, explicou.

Talentos em foco

Gerenciar e reter talentos são hoje os principais desafios das companhias no Brasil, de acordo com Guilherme Dale, sócio-consultor da Spencer Stuart e conselheiro da Amcham. Segundo ele, é “exorbitante” a disputa por profissionais externa e até internamente. Diante dessa situação, é até difícil concluir os processos de qualificação dos colcaboradores  dentro das empresas.

Na visão de Antônio Tigre, vice-presidente de Gestão de Pessoas do Grupo RBS, essa concorrência por colaboradores tem um lado positivo por ser o reflexo de um Brasil cheio de oportunidades e com uma economia em crescimento. “Se os negócios melhoram, as pessoas que fazem esses negócios também se desenvolvem e isso é bom.”

Adriana Assis, diretora de Recursos Humanos da Springer Carrier para América do Sul, comentou que deve ser claro para as organizações que as pessoas não priorizam somente a boa remuneração hoje em dia.  “O que mais atrai talentos para trabalhar em empresas são as oportunidades de conhecimento, significados, ou seja, os desafios que a vaga criará.”

Bem-estar

No final do ano passado, o plano de saúde Unimed realizou uma pesquisa para descobrir o que traz mais felicidade para uma amostra de pessoas de Porto Alegre. O projeto foi intitulado Índice de Bem Estar (IBE). O principal fator apontado como garantidor de felicidade foi a atitude positiva (43%). As demais variáveis elencadas foram bom casamento, razoável grau de escolaridade e de poder aquisitivo, realização profissional, boas condições de saúde e prática de atividades físicas

A coordenadora do IBE, Teniza Silveira, defendeu que programas de bem-estar no trabalho podem trazer para as empresas maior capacidade de reter talentos. Essas políticas asseguram moral elevada dos colaboradores, menos gastos com saúde e mais produtividade.

Ciclo de Decisões

O Ciclo de Decisões da Amcham-Porto Alegre teve a primeira edição em 2008, em comemoração aos dez anos de operação da regional. Os fóruns que estão previstos para este ano, completando o ciclo 2011,  focarão as áreas de Economia e Finanças, Marketing e Vendas e Tecnologia nos Negócios, além do tradicional CEO Fórum.

Em 2010, passaram pelos cinco encontros promovidos pela Amcham mais de 1500 gestores, empresários, estudantes e lideranças do Rio Grande do Sul.

registrado em: