"Apetite para investir no Brasil existe, mas a barra de corte subiu", diz Wilson Rosa da Advent

publicado 25/02/2016 14h49, última modificação 25/02/2016 14h49
São Paulo - Veja este e outros destaques do seminário que contou com representantes do BNDES, Bradesco Asset Management, XP, Advent, Axxon, Spectra, BR Opportunities, FGV e Ibmec.
seminario-otimizacao-da-estrutura-de-capital-e-divida-1482.html

Representantes do BNDES, Bradesco Asset Management, XP, Advent, Axxon, Spectra, BR Opportunities, FGV e Ibmec participaram na manhã de hoje (25/2) do Seminário Otimização da Estrutura de Capital e Dívida da Amcham – São Paulo. 

O encontro debateu linhas de financiamento, dívidas em momento de restrição de crédito e como levantar capital. O público de 100 empresários participou do seminário com perguntas aos debatedores.

Confira os destaques do encontro. Ainda hoje, site da Amcham traz conteúdo completo e vídeos do seminário:

Wilson Rosa, partner da Advent International 

"O apetite em investir no Brasil ainda existe. A barra de corte subiu, mas o apetite do investidor não desapareceu" 

"A capacidade de flexibilidade da equipe de gestão e do negócio são pontos fundamentais de diferenciação de empresas com bom valor de mercado"

"O objetivo sempre deve ser formar uma empresa de melhor valor, independente de quem é o atual acionista" 

 

Carlos Miranda, BR Opportunities

"Somos pagos por investidores para ler o noticiário. Hoje, para continuar investindo, temos que parar de ler um pouco os jornais e focar também nas oportunidades"

 

Bruno Constantino, sócio da XP Investimentos:  

"A crise será de fato longa. Agora, onde tem crise, tem também oportunidades. O importante é focar em variáveis como custo, crédito, preço e mercados, não ficar só reclamando de juros e inflação" 

"Na crise, o CFO tem que buscar diversificações de crédito e capital. Na hora da indisponibilidade do mercado de capitais, por exemplo, o relacionamento com bancos será a solução" 

"Historicamente, no Brasil, a alavancagem de capital em excesso mata e não temos bons casos de processos positivos de recuperação judicial de empresas"  

 

Laura Mattos, chefe de Operações Estruturadas do BNDES  

“O banco vem aumentando os produtos voltados para micro, pequenas e médias empresas. Os desembolsos para esse público chegam a 30% do total”

 "Focado nos pequenos negócios, o cartão BNDES movimenta hoje um crédito total de R$ 57 bilhões, para 704 mil cartões emitidos"

 

Hitosi Hassegawa, especialista em Estruturação de Renda Fixa 

"Hoje, o crédito novo não é o problema, é a rolagem do crédito antigo. Os bancos estão cada vez mais criteriosos"

 

Reinaldo Le Grazie, CEO do Bradesco Asset Management 

"Para acessar o mercados de capitais e crédito mais barato o fundamental sempre é investir em governança" 

 

Carlos Rocca, diretor do Centro de Estudos de Mercado de Capitais do Instituto IBMEC/CEMEC

"A liquidez do mercado secundário é fundamental para o amadurecimento do mercado de capitais no Brasil" 


Paulo Mordehachvili, sócio Axxon Group 

"O principal motivo por trás da BOA performance sãos projetos de eficiência das companhias aptas a receber investimentos"

 

Ricardo Kanitz, sócio-fundador da Spectra Investimentos 

“Em período de crise e PIB zero, temos empresas de grande porte que cresceram 9% ao ano e, as de médio, 15% ao ano”

 

Claudio Furtado. coordenador do Centro de Estudos em Private Equity e Venture Capital da FGV  

 "A operação de Private Equity não é uma solução para a crise, mas para o crescimento de empresas"

registrado em: