Estratégias de live marketing geraram bons resultados para Rede Globo e Johnson & Johnson

publicado 21/07/2016 14h55, última modificação 21/07/2016 14h55
São Paulo - Ações de interação ao vivo com clientes promovem melhores relações entre marca e consumidor, afirmam especialistas
comite-de-marketing-8956.html

Com o advento das novas tecnologias, as mídias tradicionais como televisão, rádios e anúncios publicitários perderam espaço. Nesse contexto, o live marketing pode ser uma estratégia vencedora nos negócios. A avaliação é de Alexandre Mutran, Gerente de Comunicação Regional da Rede Globo, que participou do Comitê de Marketing da Amcham – São Paulo na quinta-feira, dia 21/07. “Hoje sabemos que a mídia tradicional não atinge mais todo mundo. Temos uma infinidade de outros canais e, mais que isso, as pessoas viraram meios e veículos. Fazer somente a publicidade tradicional não alcança a quantidade que precisamos atingir”, afirmou.


Mutran define o live marketing como ações de marketing que as empresas realizam ao vivo, com contato direto com o consumidor. As campanhas podem incluir eventos corporativos, ações no ponto de venda ou atividades com cultura e entretenimento. "O emissor passa uma mensagem ao vivo, naquele momento e espaço, para o receptor. Essa proximidade é essencial para desenvolver um relacionamento relevante com o cliente", explica.


Além da ação ao vivo, Mutran afirma a importância de reverberar a ação - e o digital pode ser uma ferramenta essencial para isso. O especialista recomenda que as próprias empresas que estão promovendo a ação ofereçam ferramentas como páginas do Facebook ou aplicativos para que o próprio público dissemine a ação e avalie a experiência na hora. "O live marketing sozinho tem muito menos força do que se ele não for reverberado. Temos que espalhar a mensagem que aquele evento ou atividade aconteceu e que as pessoas que estavam ao vivo ali tiveram uma boa experiência, a fim de gerar novos clientes", afirma.


A grande vantagem, para o especialista, é ter essa possibilidade de diálogo direto com os consumidores, o que faz uma enorme diferença para a marca. Além disso, Mutran garante que a estratégia é a única ferramenta do marketing que consegue estimular os cinco sentidos do consumidor. "Quanto mais sentidos a gente estimula, maior a possibilidade de ter uma experiência relevante com o consumidor", explica.


Segundo Mutran, a Rede Globo é uma das empresas que mais promove ações de live marketing. “A estratégia é importante porque estabelece contato com o público fora das telas. Quando conseguimos ir pra rua, com ações relevantes e que envolvem temas como cultura, entretenimento, sustentabilidade, mobilidade urbana e esportes de rua, temos uma aceitação muito boa”, garante.

 

Case da Sempre Livre

A marca de absorventes Sempre Livre, da Johnson & Johnson, usou uma campanha de live marketing no festival de música do Lollapalooza. Para promover uma aproximação com o público jovem, a marca convocou a banda Supercombo e a cantora Negra Li para criarem uma música inspirada na história de vida de uma consumidora. Lançaram um vídeo explicando a história da jovem Paula Midori e anunciando que a música seria apresentada pela primeira vez ao vivo durante o show da banda no Lollapalooza. Depois da apresentação, foi gravado um videoclipe com a música e um vídeo do dia da apresentação.

Tatiana Brito, gerente de marketing de Sempre Livre, explicou que a criação dos vídeos foi essencial para garantir o sucesso da campanha - tanto para atrair mais pessoas antes do festival quanto para reverberar a mensagem depois. "Se focamos apenas no momento do show, impactamos apenas 80 mil pessoas, algo muito pontual”, afirma. Para a especialista, usar os vídeos como elementos para disseminar a mensagem foram essenciais para garantir o sucesso da campanha. “A música superou as expectativas, não esperávamos que a música virasse um hit. Ela ficou entre as 15 mais tocadas nas rádios jovens de São Paulo", conta. Para a Sempre Livre, a campanha foi vitoriosa e trouxe aumento significativo nas vendas, segundo Brito. "A forma de se relacionar mudou. uma marca não é mais o que ela diz que ela é, ela é o que todo mundo fala de você", finaliza.

 

registrado em: