Festas de fim de ano aceleram o ritmo de trabalho de empresas e equipes de Logística

publicado 10/12/2013 09h00, última modificação 10/12/2013 09h00
São Paulo – Bauducco e Accenture compartilham melhores práticas para garantir a entrega das mercadorias e melhorar performance nessa época
roque-cifu-e-homero-bastos-8225.html

Meses antes de chegarem às prateleiras dos mercados, no final do ano, os produtos de Natal aceleram o ritmo de trabalho das empresas e equipes de Logística. Na Bauducco, por exemplo, para garantir a chegada do panetone, os times de colaboradores variam com a entrada de aproximadamente 100 profissionais temporários, aumentando de 250 para 350 pessoas.

“Os picos sazonais são um desafio”, conta Homero Bastos, diretor de Logística e Distribuição da Bauducco, que participou do comitê de Logística da Amcham na última terça-feira (03/12). “A grande chave nesses casos é a antecipação. Você precisa se planejar com antecedência para prevenir eventuais problemas.”

Nesse contexto, avaliar os KPIs (Key Performance Indicators) e desenvolver planos de ações baseados neles pode contribuir para melhorar os resultados. “Nós melhoramos aquilo que podemos medir”, afirma Roque Cifu, diretor de Logística da Accenture e também palestrante no comitê de Logística. “Indicadores são importantes e precisam estar alinhados às estratégias de negócio.”

Para fazer uma análise eficaz do trabalho, ele aconselha também envolver a área de Tecnologia da Informação da empresa na coleta dos indicadores. “Com o desenvolvimento de sistemas, é possível facilitar o acompanhamento do serviço e seus resultados, e customizar a geração de relatórios, por exemplo”, diz Cifu.

Na Bauducco, além da falta de mão de obra especializada, eventuais congestionamentos dos portos e picos sazonais de demanda, outro desafio de logística constatado foi o alto gasto financeiro gerado por improdutividades, como reentregas e anulações.

“Pensando em melhorar esse cenário, organizamos um plano de ação visando quatro pilares: investimento em infraestrutura, reengenharia fiscal, redução de custos operacionais, e gestão da informação”, conta Bastos.

Para atender a crescente demanda por estrutura logística, foi criada a Ellece, que hoje atende não apenas a Bauducco, como também Hershey’s, Kellogg’s e Mars. Ao expandir o atendimento para outros embarcadores, foi possível estabelecer regras para roteirização conjunta, fazer benchmark das melhores práticas, introduzir um acompanhamento unificado das entregas, além de compartilhar mão de obra e infraestrutura.

O sistema de gestão da informação foi fundamental para o processo de comunicação com os clientes, prevenir e recuperar falhas em serviços, controlar o faturamento, aperfeiçoar o trabalho dos veículos, entre outros. “Com essa tecnologia, foi possível garantir a qualidade nos processos e melhorar o nível dos nossos serviços”, diz

registrado em: