Investir na conexão com os funcionários garantirá o futuro das empresas

publicado 25/06/2019 15h29, última modificação 25/07/2019 18h23
Rio de Janeiro – Primeira edição do CEO Fórum no Rio destacou a importância do capital humano
Felipe Barreiros (VaiVoa), Tonny Martins (IBM Brasil), Roberta Coelho (Game XP e Rock in Rio) e Gustavo Silbert (Embratel e StarOne).jpg

Felipe Barreiros (VaiVoa), Tonny Martins (IBM Brasil), Roberta Coelho (Game XP e Rock in Rio) e Gustavo Silbert (Embratel e StarOne)no CEO Fórum do Rio de Janeiro

Imagine o mundo na próxima década. Essa foi a provocação da fundadora da 5 Years From Now, Beia Carvalho, durante o CEO Fórum, no dia 17. Segundo ela, todas as questões simples serão resolvidas através da automação e, por isso, as empresas precisam investir cada vez mais no capital humano. “Vamos precisar de gente com intuição e talento, pois só essas pessoas serão capazes de trazer respostas simples para problemas complexos”, destacou a publicitária.

Também discutiram sobre inovação e legado o fundador da VaiVoa, Felipe Barreiros; o  diretor executivo da Embratel e CEO da Star One, Gustavo Silbert; o CEO da PepsiCo, João Campos; a CEO da Game XP e Head of Business Development do Rock in Rio, Roberta Coelho, e o presidente da IBM Brasil, Tonny Martins.

Assim como Beia, João Campos acredita que a nova era será marcada pelo elemento humano. Só com o engajamento dos funcionários é que a transformação será possível. Mas como motivar as pessoas e gerar as mudanças necessárias? Para o CEO, é preciso se conectar emocionalmente com os funcionários. “Esse envolvimento se dá a partir de três pontos: o conteúdo que você transmite para eles, o estímulo à autenticidade e liberdade de serem eles mesmos e, por último, a representatividade e diversidade”, ressaltou.

Quando o líder consegue alinhar esses três aspectos, a relação de valor e engajamento com a organização é fortalecida, e com isso, a empresa gera propósito. “É importante que esse propósito saia da companhia, devemos também engajar o cliente. E é por isso que se posicionar perante as questões que vão surgindo, como variados preconceitos, por exemplo, é cada vez mais importante”, completou João.

Gustavo Silbert, Roberta Coelho e Tonny Martins, debateram no painel do encontro, com mediação de Felipe Barreiros, a importância da inovação para a construção de um legado. “Empresas novas já nascem com o conceito de inovação, mas as tradicionais precisam se transformar”, pontuou Tonny. Para Roberta, o ideal é ter uma equipe mais diversificada possível. “Nada melhor do que ter funcionários jovens para ter ideias e mais velhos para agregar conhecimento e experiências. Mas, acima de tudo, é importante dar voz para a equipe”, disse ela.

Gustavo completou dizendo que não existe um modelo para se modernizar. “É preciso repensar as estratégias o tempo todo. Óbvio que a liderança tem que ter foco, mas ainda mais importante é que o líder seja curioso. Só assim a transformação é possível”, resumiu. Ao fim do bate-papo, Felipe frisou a importância do líder para todas as mudanças que vão tomar conta do meio corporativo: “todas as vezes que o líder está pronto para a transformação, ela acontece”.

POSSE DO CONSELHO

Após o CEO Fórum, mais de 200 executivos e autoridades, como Scott Hamilton, cônsul geral dos EUA no Rio de Janeiro, e o governador Wilson Witzel, participaram do almoço de posse da nossa nova diretoria para o biênio 2019/2020. Foram empossados o novo presidente, Julian Fonseca Peña Chediak, sócio do escritório Chediak Advogados, juntamente com 19 novos diretores, que ocupam cargos em relevantes organizações para a economia fluminense.

Julian Fonseca Peña Chediak prometeu focar no comércio bilateral e, também, no incentivo das iniciativas privadas. “Como advogado e agora presidente regional desta entidade centenária, eu gostaria de relembrar parte do estatuto da Câmara, que deve promover e auxiliar o comércio entre os povos. Além disso, destaco que a entidade deve incentivar a iniciativa privada e a livre concorrência”, disse ele.