Antipatia e excessos na rede social prejudicam marketing pessoal

publicado 22/02/2016 13h25, última modificação 22/02/2016 13h25
São Paulo – Adriano Barbosa, da Ponto Pessoal, dá dicas para construir uma boa imagem profissional
red-social-pic01.jpg-8882.html

O mau relacionamento com parceiros e clientes e o uso exagerado das redes sociais são fatores que atrapalham muito a construção da boa imagem de um profissional, de acordo com Adriano Tadeu Barbosa, professor e fundador da agência digital Ponto Pessoal.

“Muitos profissionais não se colocam no lugar das pessoas e nem fazem bom atendimento para ser lembradas. Exageram, principalmente, nas redes sociais por não se verem como uma marca profissional”, afirma, em entrevista concedida ao site da Amcham antes de sua apresentação no comitê de Secretariado da Amcham – São Paulo na quarta-feira (17/2).

Barbosa falou sobre como o marketing pessoal e a comunicação influenciam carreiras. O atendimento e comunicação nas redes sociais, classificadas como promoção, foram dois deles, mas Barbosa levantou mais três pontos para se trabalhar o marketing pessoal:

1. Objetivos claros – Definir projetos profissionais e saber aonde se quer chegar é o primeiro passo. “É o norte de qualquer ação de marketing”, reforça o especialista.

2. Pesquisar – Sempre há uma forma mais eficiente de executar um processo, e para isso é preciso dominar o assunto. “Não precisa inventar a roda, basta olhar o que foi feito e adaptar à nossa realidade.”

3. Relacionamento – Boas interações pessoais costumam ser autênticas, amistosas e até certo ponto altruístas, o que vale tanto para decisores da empresa como colaboradores mais simples. “Se puder ajudar a pessoa, ajude sem esperar nada em troca. Construa o resultado dela e depois pense no seu”, opina Barbosa.

4. Promoção – Comunicar atributos profissionais é importante, seja pessoalmente ou via internet. Mas na hora de expressar opiniões pessoais ou até desafios da carreira nas redes sociais, Barbosa recomenda cautela. “As pessoas te enxergam como marca, então tem que ter cautela nas publicações.”

5. Atendimento – O modo de lidar com as questões de outra pessoa é determinante para causar boa ou má impressão. “Trabalhar com atendimento envolve boas maneiras, empatia e interesse”, comenta o especialista.

Por mais competente que seja, o profissional vai perder oportunidades de crescimento se a sua relação com colegas e parceiros for ruim. Se o mesmo trabalhador mudar sua atitude e se tornar mais prestativo, estará criando uma nova imagem pessoal, argumenta Barbosa. “Marketing pessoal é ser lembrado. Quanto mais isso acontecer, mais projetos aparecerão para o profissional.”

registrado em: