Método de economia OBZ ajuda a visualizar custo de novos negócios

publicado 12/04/2016 15h47, última modificação 12/04/2016 15h47
São Paulo – Orçamento Base Zero (OBZ) envolve colaboradores e possibilita reduzir gastos com departamentos e novos projetos
comite-de-financas-2798.html

Mais do que uma metodologia de redução de custos, o Orçamento Base Zero (OBZ) também é útil para mapear economias potenciais em projetos de expansão, novos produtos ou inovação, afirma David Capezzutti, gerente sênior da KPMG. “Além de economizar, a empresa também pode querer aumentar o nível de serviços em determinada área ou seguir o direcionamento estratégico que exige aumento de custos em outro setor. O OBZ vai ajudar a estruturar as informações para facilitar essas escolhas”, segundo o consultor, que participou do Comitê de Finanças da Amcham – São Paulo na terça-feira (12/4).

Pelo OBZ, as despesas são orçadas com base nos processos ou atividades necessárias para concretizar o projeto, sendo cada uma delas discutida com a equipe e justificada na alta administração pelos gestores. Se uma empresa quer reduzir a conta de telefonia, pode fazer isso através do Base Zero, exemplifica Capezzutti.

Via de regra, a área de TI (Tecnologia da Informação) acaba liderando essa conta e a política de consumo determina ou a alocação direta ou eventual rateio entre os departamentos. Então é comum que as empresas tenham gestores responsáveis por contas que atravessam a organização, e o OBZ não vai deixar isso de lado. “Pelo contrário, vai reforçar a busca, a identificação de oportunidades de empacotamento para trazer esse ganho de gestão centralizada para alguns temas e revisitar as políticas de consumo área a área”, disse.

Em exemplo voltado a modelo de negócios, Capezzutti cita que os gastos de uma pizzaria familiar, orçados com base no histórico de despesas, chegariam a 900 mil reais por ano entre salários e outros custos. Via OBZ, o empresário pode enxergar o limite mínimo (limiar) necessário para operar.

Estudando formas de economizar pessoal e recursos, o custo necessário para operar uma estrutura enxuta poderia chegar a 450 mil reais, assinala. “No limiar da pizzaria, tem que ter pizzaiolo, forneiro e caixa. Será que preciso de gerente em um negócio familiar que só vai atender balcão?”, indaga.

Ainda segundo o modelo de OBZ, por um orçamento de 720 mil reais o empresário poderia vender no balcão e fazer entregas no bairro, acrescenta o consultor. “Aqui será necessário contratar entregadores. Mas a lógica do OBZ vai criar metas e construir a estrutura necessária para alcançar esse objetivo.”

Whirlpool

Na Whirlpool, a adoção do OBZ gerou redução real de custos nos últimos anos, segundo Carolina Figueiredo, gerente sênior de planejamento financeiro da Whirlpool para a América Latina. “Não posso abrir números, mas desde 2013 a 2016 projetado, tivemos inflação de 36% dentro dos pacotes de OBZ que conseguimos compensar totalmente, e ainda reduzimos custo de 6%. Então acabei tendo uma economia de 42% no período”, segundo a executiva.

A área de OBZ é responsável pelo planejamento e execução da metodologia nos projetos da empresa. “Pode ser desde a adoção de home office ou mudar a sede da empresa para diminuir o aluguel. Não atuamos diretamente no projeto, mas como orientadores”, destaca Carolina.

Para o funcionamento da metodologia, é preciso apoio da alta gestão. “A liderança tem que ser forte para prolongar a cultura e a metodologia, bem como treinar todos e criar participação.”

registrado em: