No século da Indústria 4.0, flexibilidade e agilidade são ordens

publicado 28/01/2020 10h52, última modificação 28/01/2020 11h02
Ribeirão Preto – No Fórum de Gestão, palestrantes discutiram o futuro do trabalho na era da tecnologia
Vandré Oliveira, co-fundador na Tango.Tech, fala sobre o futuro do trabalho durante o nosso Fórum de Gestão.jpg

Vandré Oliveira, co-fundador da Tango.Tech, fala sobre o futuro do trabalho durante o nosso Fórum de Gestão em Ribeirão Preto

Inteligência artificial, revolução dos dados e internet das coisas já são realidade no Brasil e caracterizam a Indústria 4.0. Todo esse avanço tecnológico gera diversas dúvidas acerca de como será o futuro, principalmente das profissões e empresas.

Vandré Oliveira, co-fundador na Tango.Tech, traz a recomendação da vez para lideranças: flexibilidade. Em sua perspectiva, não existe mais longo prazo – o ideal é fazer planos a médio prazo com ações rápidas a fim de poder se adaptar e estar aberto para as mudanças. “Na década de 80 ou 90, um CEO se aposentava na glória com uma grande transformação que provocava em sua empresa. Hoje, um CEO tem que fazer uma revolução a cada dois ou três anos”, apontou, durante a primeira edição do ano do Fórum de Gestão com o tema O futuro do trabalho dá trabalho, realizada no dia 22/01 em Ribeirão Preto.

O TRABALHO TEM FUTURO

Para Kleber Castro, head de inovação na Krosy e segundo palestrante do encontro, as profissões do futuro devem ser aquelas que trabalham com habilidades cognitivas, sociais e emocionais. Isso inclui, por exemplo, o empreendedorismo. E é bom lembrar: “A indústria 4.0 não é só tecnologia. É muito além de internet das coisas e inteligência artificial: envolve eficiência energética, envolve ter o cliente como core business do negócio e é um processo que depende das pessoas. A indústria 4.0 não existe sem as pessoas e se as empresas não fizerem esse processo acontecer”.

E O FUTURO TEM PRESSA

Kleber está otimista com os avanços e observa um interesse maior nas empresas em despertar o conhecimento nessa área. Mas faz um alerta importante: “As empresas precisam ter atitude para avançar mesmo que o cenário diga não. A indústria 4.0 vem com tudo e, se as empresas não entenderem esse processo, elas vão ficar para trás”.

COMO SE PREPARAR PARA O FUTURO?

Para não ficar para trás na sua estratégia, a Amcham prepara, todos os anos, uma série de atividades para conectar, formar e transformar a sua empresa. Em Campinas, acontece a ‘Segunda Missão Regional de Indústria 4.0’, entre os dias 11 a 13 de fevereiro. O intuito é levar uma delegação de empresários para conhecer como a Heineken, Unilever, Bosch, Lenovo e Sabó estão usando a tecnologia para crescer. Para se inscrever, acesse aqui.

Além da Missão Regional, temos um calendário robusto de eventos e atividades promovidos pela Amcham no interior de São Paulo. Clique aqui e veja o nosso calendário completo.