Novo presidente da CVM defende manutenção de estabilidade gerencial do órgão e aprofundamento do diálogo com mercado

por marcel_gugoni — publicado 13/12/2012 15h37, última modificação 13/12/2012 15h37
São Paulo – Leonardo Pereira, ex-vice-presidente-executivo da Gol, propõe também mais avanços no Novo Mercado.
leonardo_195.jpg

A manutenção do papel forte da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) é uma das bandeiras do novo presidente do órgão regulador do mercado financeiro brasileiro, Leonardo Pereira. Ex-vice-presidente-executivo da companhia aérea Gol, Pereira assumiu o cargo no início de novembro e adianta que sua gestão vai priorizar maior diálogo com o mercado.

Leia mais: Brasil precisa incentivar mais empresas a buscarem mercado de capitais, defende executivo da Amec

“O que eu vou fazer é avançar na linha de proximidade com os players mercado”, afirma. Para garantir essa proximidade, uma das prioridades será ouvir empresas, instituições financeiras, investidores e outros players a cada mudança de regra para que haja concordância. “É questão de ouvir o que o mercado tem a dizer.”

Ele conversou com a reportagem do site nesta quinta-feira (13/12), antes de participar do comitê estratégico de Governança Corporativa da Amcham-São Paulo. O tema do encontro se centrou nas propostas do trabalho da CVM para 2013.

Em linhas gerais, Pereira propõe maior espaço para empresas participarem do mercado de capitais, com mais possibilidades de financiamento e captação financeira por empresas de menor porte. Ele diz também que é preciso avançar em melhorias para o Novo Mercado, que define as melhores práticas de governança e de relações com investidores porque, “depois de dez anos, essas práticas já foram absorvidas e implementadas pelas empresas”.

Veja aqui quais são as vantagens de ser sócio da Amcham

Pereira faz uma recomendação sobre a importância de uma capacitação cada vez maior dos agentes do mercado financeiro brasileiro: “Quando se fala de crescimento do mercado, é muito importante trabalhar na capacitação de todos os agentes do mercado, nos órgãos reguladores e nas empresas”, diz. “Temos que fazer nossa parte como reguladores.”

Leia os principais trechos da entrevista com Leonardo Pereira:

Amcham: Quais são as principais previsões de trabalho da CVM para 2013?

Leonardo Pereira: A CVM tem como grande trabalho manter a continuidade do que já vinha sendo feito pelos antecessores para ter uma estabilidade gerencial bastante forte. Isso é um valor que tem que ser preservado. Claramente, o que vou fazer é avançar na mesma linha de entendimento claro do papel [da própria CVM] como agente regulador do mercado, de proximidade com os players mercado e com foco nas coisas materiais – isso tudo com um constante esforço de capacitação das pessoas internamente. Hoje, a CVM está bastante preparada para lidar com os desafios que o mercado vai colocar.

Amcham: Essa proximidade do mercado significa atrair mais investidores para a Bolsa?

Leonardo Pereira: Não é só isso. É o caso, por exemplo, de quando houver uma mudança de instrução colocar essa nova medida em audiência pública. É questão de ouvir o que o mercado tem a dizer.

Amcham: Como o sr. avalia o Novo Mercado na sua futura gestão?

Leonardo Pereira: O Novo Mercado foi feito há dez anos. Quando ele surgiu, trouxe grandes melhorias no modo como as empresas estavam trabalhando [em termos de governança corporativa e relação com investidores]. Depois de dez anos, essas práticas já foram absorvidas e implementadas pelas empresas, umas mais rapidamente do que outras. Os próximos passos são continuar a pensar o que fazer para o Novo Mercado continuar sendo o Novo Mercado daqui a dez anos. A CVM tem que estar aberta a ouvir quais as propostas para estes avanços.

Quer participar dos eventos da Amcham? Saiba como se associar aqui

Amcham: Como atrair mais empresas para o mercado de capitais?

Leonardo Pereira: Há vários estudos e um comitê técnico multidisciplinar para analisar isso. devem surgir propostas para atrair as empresas e diversos órgãos do mercado avaliarão essas medidas.

Amcham: De que maneira esse aumento no número de empresas no mercado é positivo para a economia?

Leonardo Pereira: O Brasil tem juros baixos e fundamentos sólidos na economia. Então, é natural que as empresas acessem o mercado de capitais para financiar seu crescimento e também para que seja mais uma alternativa à poupança nacional. Mas há outra coisa importante quando se fala de crescimento do mercado: é muito importante trabalhar na capacitação de todos os agentes do mercado, nos órgãos reguladores e nas empresas, que os diretores de relações institucionais estejam cada vez mais capacitados porque são eles que trazem essa cultura de governança para dentro da empresa, e que os conselhos de administração entendam claramente o papel que têm.

Amcham: Essa qualificação poderia se dar de que maneira?

Leonardo Pereira: De vários modos, desde a educação formal a treinamentos. Temos que fazer nossa parte como reguladores.

Amcham: Como a CVM avalia a chegada de uma nova bolsa de valores no Brasil além da BM&FBovespa?

Leonardo Pereira: Não tive tempo ainda de entrar neste assunto a fundo. É uma questão que ainda vamos avaliar.

registrado em: