Para líder da PepsiCo, é preciso maturidade de processos antes de terceirizar; assista ao vídeo

publicado 08/10/2015 15h56, última modificação 08/10/2015 15h56
São Paulo - KPMG e PepsiCo debateram a tendência de terceirização no setor financeiro das empresas
gustavo-costa-1500.html

O líder de serviços compartilhados e BPO da PepsiCO, Gustavo Costa vê a terceirização de setores financeiros como uma tendência. Ele alerta. porém, para os cuidados que as empresas precisam ter antes de adotá-la. Para Costa é preciso maturidade nos processos a serem realizados por terceiros. “Maturidade está calcada em três pontos: estabilidade, padronização e controle de gestão”, disse. Assista ao vídeo para ver a entrevista completa com o Head da PepsiCo.

Rubem Gallego, líder de serviços compartilhados e outsourcing da América Latina na KPMG, segue o mesmo pensamento e explica porque a terceirização se tornou cada vez mais comum. "Há ofertas muito boas no mercado em termos de custo e nível de serviço. Antigamente, só se analisava o custo, ou seja, tinha muito problema de atendimento e serviço deficiente. Há uma tendência clara, que veio de fora. O Brasil adotou a terceirização muito rápido porque tem uma excelência em finance and accounting”.

Os dois foram palestrantes no Comitê de Finanças reunido na sede da Amcham, em São Paulo, quinta-feira (8/10).  Para o presidente da mesa do Comitê, Cristiano Furtado,  “o Brasil vem hoje se posicionando como um centro global para esses serviços. O país é o 8º do mundo nesse mercado. Isso abre um caminho imenso para o Brasil atrair outras operações da América Latina e também cria uma alternativa para desenvolvimento de profissionais nessa área”, conclui.

 

 

 

registrado em: