Porto de Suape movimentará 50 milhões de toneladas de cargas em 2016

por giovanna publicado 03/08/2011 12h39, última modificação 03/08/2011 12h39
Recife – Perspectivas positivas foram apresentadas no 5º Suape Business Meeting.
suape_corpo.jpg

O Porto de Suape fechará 2011 com movimentação total de 11 milhões de toneladas em cargas. Esse número deve chegar a 30 milhões em 2013 e a 50 milhões em 2016. As projeções são de Frederico Amâncio, vice-presidente do Complexo Industrial Portuário de Suape.

“Há uma tendência forte de crescimento na movimentação de cargas que começou em 2010, quando registramos expansão de 16,3%. Essa movimentação está ligada não apenas ao crescimento portuário industrial de Pernambuco, mas também ao esforço que estamos realizando para atrair cargas e contêineres de regiões estratégicas do mundo”, ressaltou Amâncio, que participou na última quinta-feira (28/07) do 5º Suape Business Meeting da Amcham-Recife.

Nesse contexto, Frederico Amâncio ressaltou que o Porto de Suape receberá em 11/08 o primeiro navio de uma nova linha de transporte originária na Ásia.  “Temos uma grande expectativa para essa nova linha que será inaugurada. Ela sozinha representará 10% do que movimentamos hoje em contêineres”, comentou o vice-presidente do Complexo de Suape.  Amâncio destacou ainda que o início dessas operações é visto como oportunidade para atração de mais linhas que venham a dar visibilidade internacional ao porto.


V Suape Business Meeting

A 5ª edição do Suape Business Meeting da Amcham focou o tema “Oportunidades e Investimentos”. O evento reuniu mais de 250 empresários, investidores e autoridades para debater as perspectivas para o porto e teve como palestrantes também Angelo Bellelis, presidente Norte-Nordeste do Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore (Sinaval); Sérgio Kano, presidente do Tecon Suape; e Marcello Marques, diretor de negócios da Transnordestina Logística.

Acompanhe um pouco do que eles disseram a respeito do contexto do desenvolvimento de Pernambuco e do Complexo Portuário nos próximos anos:

“Acredito que o crescimento do Estado é sustentável; entretanto, é muito importante pensarmos em como melhorar a situação. Na indústria naval, por exemplo, a notícia da instalação de mais dois estaleiros no Estado exige que uma nova estrutura de apoio seja pensada para garantir o crescimento sustentável. O ideal é ter uma estrutura parecida com a da indústria automobilística, onde as fábricas que fornecem peças para as montadoras se localizam em seu entorno. É preciso atrair indústrias de navipeças para perto desses estaleiros”, afirmou Angelo Bellelis.

“Especificamente em Suape, é preciso investir na estrutura de serviços para dar maior suporte ao crescimento. Por exemplo, não há oferta de imóveis para escritórios, restaurantes, farmácias e hotéis. O investimento em empreendimentos assim é urgente para o Complexo de Suape e precisa estar previsto no plano diretor da região”, ressaltou Sérgio Kano.

“Pernambuco soube aproveitar as oportunidades de investimento. Temos a expectativa de que o crescimento continue a ocorrer em taxas superiores às registradas no restante do Nordeste. Nosso projeto [da Transnordestina] todo tem esse norte, de que o caminho ideal é atravessar Pernambuco chegando a Suape”, apontou Marcello Marques.

 

 

registrado em: