Sucesso da gestão de pessoas por competências depende do engajamento dos líderes

por andre_inohara — publicado 19/09/2012 07h44, última modificação 19/09/2012 07h44
Recife – Definir competências ajuda no crescimento da empresa, na gestão do clima organizacional e na satisfação dos funcionários com o trabalho.
foto_robson_galindo.jpg

Empresas que optam pelo sistema de gestão de pessoas por competências devem atentar para o engajamento dos líderes em sua aplicação. Segundo Robson Galindo, gerente de Desenvolvimento de Pessoas da Baterias Moura, este é um ponto essencial para o sucesso do modelo.

“São os líderes que praticam no dia a dia a gestão por competência. O maior desafio é fazer com que eles estejam alinhados e pratiquem o modelo desde a seleção até a avaliação de pessoas”, pontuou Galindo, que participou do comitê de Gestão de Pessoas da Amcham-Recife nesta terça-feira (18/09).

Segundo Galindo, o modelo consiste em definir quais são as competências profissionais essenciais para o negócio da empresa e usá-las como parâmetros para todas as atividades de gestão de pessoas. Pontos como foco no consumidor, determinação nos resultados, melhoria contínua e comprometimento são algumas das competências buscadas pelas Baterias Moura, por exemplo.

O executivo conta que essa definição deve ser feita a partir do levantamento das melhores práticas e histórias de sucesso dentro da própria equipe. “Realizamos entrevistas com as pessoas identificando essas histórias e, a partir de cada uma delas, apontamos os comportamentos que procuramos em nossos funcionários”, comentou.

“A gestão por competências beneficia o crescimento da empresa, a gestão do clima organizacional e a satisfação dos funcionários com o trabalho”, comenta.

Confira como são pensadas algumas das atividades de gestão a partir do modelo e competências:

Seleção

Para identificar as competências procuradas em um profissional ainda no processo de seleção, Galindo recomenda que se coloquem questões reais do passado profissional como um parâmetro.

“Em vez de perguntar a um candidato a vendedor como ele trataria um cliente difícil, deve-se questionar qual foi a situação de venda mais complicada pela qual ele passou. A partir dessa história, será possível identificar as características desse profissional”, explica.

No caso de profissionais sem experiência de trabalho anterior, como estagiários e recém-formados, o ideal é buscar até mesmo em sua vida pessoal esses exemplos.

“Pode-se identificar as competências na forma como a pessoa trabalhou em equipe na escola ou na família”, ilustrou.

Desenvolvimento

De acordo com o gerente da Moura, as pessoas tendem a planejar seu desenvolvimento profissional dando mais importância aos treinamentos, seminários e leituras do que ao trabalho prático dentro da empresa.

“No desenvolvimento de competências, esses valores se invertem e a experiência de aprendizado na prática da função é mais importante”, afirma Galindo.

registrado em: