VP de Vendas da Bosch Termotecnologia ministra curso de gestão de Vendas na Amcham Campinas

publicado 06/02/2015 15h47, última modificação 06/02/2015 15h47
Campinas – Em entrevista ao site da Amcham,Rafael Campos traça perspectivas e estratégias para enfrentar comercialmente o ano

2015 será um ano desafiador. Visando auxiliar as empresas no cenário de incertezas econômicas, a Amcham-Campinas ministrou, no último dia 27/01, edição do Programa Amcham de Capacitação Executiva (Pace), focado na melhoria da performance e gestão das vendas das equipes comercias neste ano.

O curso foi minstrado por Rafael Campos, vice-presidente de Vendas da Bosch  Termotecnlogia. Em entrevista ao site da Amcham, ele traça cenários e estratégias para enfrentar 2015. Leia abaixo: 

Pensando nas necessidades de inovar em tempos de crise, e de encontrar soluções inteligentes que ajudem a empresa a se desenvolver e crescer mesmo com este cenário, a Amcham Campinas realizou na última Terça feira (27/01) o PACE – Programa Amcham de Capacitação – com o tema “Gestão de Vendas”.

Rafael Campos, Vice Presidente de Vendas da Bosch, foi o responsável por ministrar o treinamento, e abaixo você confere a entrevista sobre sua visão do momento do país no comércio e quais são as perspectivas para este ano.

O custo Brasil é muito elevado, e o cenário econômico nacional é pessimista, ainda que mais otimista que do ano anterior.Na sua avaliação, existem setores que terão um bom ano em 2015?

Mesmo que o cenário macro não seja muito favorável, acredito que diversos segmentos e nichos apresentarão crescimento acelerado em 2015 e nos anos por vir. Por exemplo, vimos nos últimos anos uma grande movimentação social no Brasil que deverá continuar em 2015 e nos anos que seguirão. Isto trouxe e continua trazendo mudanças nos padrões de consumo que, por si só, geram oportunidades de investimento interessantes para empresas e negócios que apostam nesta ampliação de mercado consumidor, na famosa “nova classe média”. Há novos consumidores para muitos produtos e serviços, seja por inclusão social ou mesmo regional, e isto gera oportunidades mesmo em um cenário onde a economia como um todo pode não estar caminhando muito bem.

 

E a crise energética e hídrica, qual será seu impacto?

A crise energética e escassez de água, por exemplo, estão trazendo oportunidades para negócios nos segmentos de eficiência energética. As próprias obras de infraestrutura para as olimpíadas no Rio de Janeiro geram oportunidades pontuais interessantes no segmento de construção civil e mobilidade urbana. Assim como estas, há diversas oportunidades em um país tão grande e rico como o nosso, a 5ª economia do mundo. Cabe aos gestores comerciais enxergar e mapear os potenciais e direcionar os recursos de suas empresas para explorá-los, evitando que o pessimismo exagerado consuma suas organizações.

 

Muito tem se falado sobre o impacto na crise hídrica nas produções das indústrias e na economia em geral. Na sua avaliação, qual será o seu real impacto no setor produtivo?

Certamente é um momento onde o planejamento deve ser redobrado em ambos os extremos das empresas – compras e vendas. Os segmentos que podem oferecer soluções para diminuir os riscos ou impactos da crise hídrica tem de preparar sua equipe comercial para conseguir transmitir suas mensagens aos seus clientes, analisar as oportunidades de mercado de forma estratégica e conseguir tirar o máximo proveito do potencial que terão pela frente, potencializando os recursos que terão a seu dispor.

 

E como podemos preparar as equipes de vendas para um 2015 tão desafiador?

Em um cenário mais instável, acho importante aumentarmos a capacidade analítica e o foco de nossas equipes comerciais, portanto entendo que ferramentas como algumas que apresentei na capacitação podem ser úteis para facilitar a tomada de decisão e o dia-a-dia dos gestores de vendas, permitindo uma melhor alocação de seus recursos mais escassos – o tempo de seus vendedores – de acordo com o potencial de retorno dos clientes

registrado em: