65% dos jovens profissionais acreditam impactar positivamente a sociedade com seu trabalho

publicado 12/12/2013 17h04, última modificação 12/12/2013 17h04
São Paulo – Pesquisa da Deloitte mostra otimismo dos futuros líderes em relação à inovação e à transformação por um mundo melhor
milton-da-vila-3509.html

Uma pesquisa realizada pela Deloitte (Millenial Innovation Survey 2013) – da qual participaram mais de cinco mil jovens profissionais, de 18 países, nascidos depois de 1982 – constatou que 65% dos jovens profissionais acreditam impactar positivamente a sociedade com seu trabalho. Entre os respondentes dessa questão, o Brasil (83%) foi o que mais se ressaltou, seguido pela Índia (74%) e pela Alemanha (73%).

A Deloitte constatou que 60% dos entrevistados acreditam trabalhar para uma empresa inovadora. Para a maioria (71%), as inovações geradas pelas empresas contribuem para melhorar a sociedade, sendo China e Malásia os mais confiantes sobre o papel positivo das organizações. 12% disseram que as inovações são negativas para a população, e apenas 5% afirmaram não impactar de nenhuma maneira.

A pesquisa também avaliou os principais desafios da sociedade. Os mais citados foram escassez de recursos naturais (34%), inflação (32%), envelhecimento da população (28%), desemprego (27%) e mudanças climáticas (25%).

No Brasil, o maior desafio apontado pelos entrevistados é melhorar a qualidade de vida dos cidadãos. “Há uma preocupação especial com o nível de educação básica, principalmente com o treinamento dos professores e a conscientização dos alunos sobre suas obrigações e direitos”, diz Milton da Vila, líder da prática de Inovação da Deloitte e palestrante no último encontro do comitê de Inovação da Amcham, em 11/12. “Além disso, os participantes da pesquisa mencionaram melhor distribuição de renda e serviço de saúde como dois pontos fundamentais para aumentar a qualidade de vida.”

Entre os principais propósitos das empresas para as quais trabalham estão melhorar a sociedade (36%), gerar lucros (35%) e incentivar e liderar a inovação (33%). As menções sobre inovação foram maiores na China, no Brasil e na Índia, e menores no Japão. “Esses jovens querem mudar o mundo. As novas gerações têm uma postura muito positiva e um poder de engajamento incrível”, diz Milton.

Clique aqui para ver os resultados da pesquisa na íntegra.

 

 

 

registrado em: