Amcham Talks reúne 2 mil executivos no maior festival de negócios da região de Campinas

publicado 24/04/2019 10h10, última modificação 24/04/2019 11h47
Campinas – Sucedido no dia 11, o evento teve mais de 30 palestras com executivos de startups e grandes corporações compartilhando experiências e conceitos
Amcham Talks 2019 em Campinas.jpg

Amcham Talks | Trends Innovation Festival 2019 em Campinas

Um festival com mais de 30 atrações e três palcos simultâneos. Você deve imaginar que estamos falando dos shows e artistas do Rock In Rio ou Lollapaloza? Mas são números da segunda edição do Amcham Talks, festival de negócios e inovação promovido pela Câmara Americana no último dia 11 de abril, em Campinas. 

Com público recorde de mais de dois mil executivos, o festival Amcham Talks reuniu startups e grandes corporações que estão investindo em ações disruptivas na gestão de negócios e desenvolvimento de produtos e serviços. O evento utilizou a dinâmica de grandes festivais de música, onde público, que escolhia o conteúdo, poderia assistir diversos especialistas e palestras em palcos simultâneos em programação de um dia inteiro. 

Tendência e futuro foram as palavras dominantes durante as apresentações. Os conceitos apareceram diversas vezes na fala de executivos referências nos assuntos, como Marcos Barros, da Universal Orlando Resort; Roberta Coelho, do Game XP e Rock in Rio; Felipe Barreiros, da VaiVoa; Luciano Potter, da RBS Tv, e Beia Carvalho, da FiveYearsFromNow.

“As empresas podem aprender sobre velocidade com as startups. O nível de exigência e agilidade é completamente diferente nessas empresas. Elas [as startups] têm dados sensíveis, mil portas para abrir e mil reuniões para fazer para que um projeto seja aprovado”,  apontou Barreiros.

Ele acrescentou ainda que com as startups, corporações maiores podem aprender a implementar, entregar e mudar um projeto de forma mais ágil. “Se a startup aprende com a empresa a ser mais estruturada, a empresa tem que entender que muitas reuniões podem matar a startup”, finalizou.

“Olhar para o futuro não significa fazer dinheiro hoje, mas sim mais pra frente. Existe uma tendência e se você não olhar para o futuro, a probabilidade de ser carta fora do baralho é muito maior”, comentou Beia.  Na visão da executiva, para se chegar a este pensamento, é preciso gerar ideias naturalmente, exercitando a mente cada vez mais.

Prática e aproximação

Além de todo conteúdo como ponto chave do encontro, o evento foi palco de uma rodada social em parceria com a Fundação Feac para promover o contato entre empresas socialmente responsáveis e Organizações da Sociedade Civil em prol do desenvolvimento social.

Em outra parceria, dessa vez com o Instituto de Inovação da Universidade de Campinas, foi criado um ambiente de aproximação de startups da América Latina com investidores. E, claro, os convidados do festival participaram de diversas experiências para oxigenar as ideias e tornar o dia mais divertido: simulação de asa delta, corrida de drones, óculos de realidade virtual e oficina de gin.

Fechando o festival  Amcham Talks, aconteceu um MasterClass com o professor de administração de Havard, Michael Norton. Compartilhando insights de seu livro, “Happy Money: A Ciência dos Gastos Mais Felizes”, o professor se baseia em pesquisas recentes e exemplos que vão desde como os indivíduos alcançam a felicidade individualmente a como as empresas procuram criar funcionários mais felizes ou "produtos mais felizes" para seus clientes.