As dicas da Liga Ventures para ter sucesso em programas de inovação com startups

publicado 20/07/2020 11h31, última modificação 20/07/2020 11h31
Brasil – O co-fundador da aceleradora, Guilherme Massa, acredita que existem boas práticas tanto para startups quanto para grandes empresas a fim de que conexões deem certo
Liga Ventures dicas para programas de conexão com startups

Guilherme Massa, co-Fundador e Diretor da Liga Ventures, em Webinar sobre modelos de inovação

A inovação aberta é uma via de mão dupla: se bem executada, startups e grandes empresas saem ganhando. Para isso, Guilherme Massa, co-fundador da Liga Ventures, acredita que existem boas práticas a serem seguidas por ambos os lados. Reunimos algumas dicas do executivo e de Adriana Fernandes, fundadora da Mandala Comidas Especiais, durante o nosso webinar ‘Modelos de inovação: conexão com startups’, mediado por Maximiliano Carlomagno, fundador da Innoscience, no dia 14/07.

 

ÀS STARTUPS

Adriana comenta que, antes de entrar em qualquer projeto, é preciso ter os objetivos de negócio bem claros. “A Mandala tem um objetivo muito claro e nós vamos olhando e traçando onde conseguimos ter parceria ou não”, exemplifica, lembrando que não adianta ter pressa e, acima de tudo, é necessário resiliência por parte da startup.

Com isso, Guilherme lembra também que qualquer participação em programas de conexão com startups deve ser estratégica: “Não saia se inscrevendo em todo e qualquer processo de aceleração que aparecer pela frente”. Para escolher de quais participar, é necessário que o objetivo do negócio esteja alinhado com o objetivo do programa e, às vezes, com a temática.

Além disso, Guilherme acredita que, em eventos, incubação ou aceleração, é sempre bom fazer relacionamento com as empresas. Entretanto, existe uma linha tênue entre fazer relacionamento e participar apenas com um objetivo transacional. “Se sua meta for única e exclusivamente fechar negócios com as grandes empresas, não é preciso se inscrever para isso”, manifesta.

Fechar negócios é apenas uma consequência da participação de projetos de conexão com startups. Assim como ampliar a visão de mercado e abrir portas, outros resultados podem ser atingidos. “O empreendedorismo é uma jornada solitária, mas esses processos fazem com que essa caminhada seja menos isolada, portanto, aproveite-os bem”, aconselha Adriana.

 

ÀS GRANDES EMPRESAS

É um erro pensar que apenas experiência para mentoria e capital vão alavancar uma startup. Segundo Guilherme, as grandes empresas precisam entender onde realmente podem ajudar o empreendedor. Assim, se conectar com negócios inovadores torna-se uma tarefa que exige esforços, dedicação e compreensão para gerar frutos.

Na visão de Adriana, que participou de vários processos de aceleração e programas de conexão com startups, é imprescindível o alinhamento interno das empresas que promovem essas ações e ter clareza: “Isso passa seriedade”. Mentorias também são extremamente bem-vindas, quando organizadas e estratégicas: “Já passei por situações em que não recebi as orientações porque meu mentor simplesmente não tinha tempo para me atender ou não trabalhava na minha área”.

Desta forma, Guilherme alerta que não ter a sensibilidade para lidar com um negócio nascente pode dar muito errado durante a mentoria. “É preciso fazer encontros com uma periodicidade. Um mini encontro não resolve as coisas”, adverte. Além disso, também lembrar que conexão com startups não são programas de business development. Por isso, é preciso paciência, organização, comprometimento e seriedade. “Os executivos ainda têm muita aversão a risco e os programas nem sempre pegarão casos de sucesso ou startups já em escalada”, finaliza.

 

PROMOVENDO CONEXÕES

Seguindo todas as dicas, processos de conexão com startups podem gerar frutos importantes para ambos. Sabendo disso, estamos lançando a segunda edição do Amcham Arena, nossa competição nacional que conecta multinacionais a soluções e inspirações que revolucionam os negócios, mantendo assim o espírito de inovação vivo no mercado brasileiro. 

A primeira edição aconteceu em 2019 com mais de 750 inscrições, 15 startups finalistas e um vencedor. As inscrições para este ano já estão abertas, são gratuitas e abrangem startups de todo o território brasileiro. O período para se inscrever é de 01/07 a 02/08Clique aqui para preencher o formulário de participação.