Biosolvit é eleita a melhor startup do Brasil no Amcham Arena

publicado 18/10/2019 16h29, última modificação 18/10/2019 17h28
São Paulo – Empresa criou solvente ecológico capaz de absorver resíduos de petróleo e derivados
CEO da Biosolvit, Guilhermo Queiroz, segura o troféu nacional ao lado de Deborah Vieitas, Marcelo Rodrigues e Nadia Rabechi, da Amcham Brasil.png

CEO da Biosolvit, Guilhermo Queiroz, segura o troféu nacional ao lado de Deborah Vieitas, Marcelo Rodrigues e Nadia Rabechi, da Amcham Brasil

Com a proposta de inovar a partir de fontes renováveis, a Biosolvit foi a campeã da final nacional do Amcham Arena. A última fase do concurso que conectou mais de 750 startups a um cardume de mais de 5 mil empresas associadas à Amcham aconteceu na última quinta-feira (17), em São Paulo.

Por meio de pesquisa e desenvolvimento, a startup criou dois produtos: o Bioblue, que absorve resíduos de petróleo e derivados, e o Biogreen, uma solução alternativa ecológica e orgânica que auxilia a absorção de água e nutrientes durante o plantio. As soluções geradas pelo negócio contribuem para redução de problemas ambientais.

Segundo a CEO da GE e jurada na final nacional, Viveka Kaitila, além do estado de maturação da Biosolvit e a clareza do produto que está desenvolvendo, o impacto de sustentabilidade foi algo marcante. “Existe um viés ainda de efeito de como isso pode ser aplicado no desastre que está acontecendo do derramamento de óleo no Nordeste do País”, comentou.

Também compôs a banca de jurados o Presidente do nosso Conselho e CEO da Cargill, Luiz Pretti. Segundo ele, o nível de todas as startups estava muito elevado e o objetivo da competição de promover conexões entre grandes empresas e startups foi atingido. “Muitas das soluções podem ser úteis para a nossa empresa e eu me sinto muito gratificado de ter participado como jurado”, mencionou.

 

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIOS

Em uma pesquisa que conduzimos de setembro a outubro, 41,4% das startups apontaram que a principal dificuldade é não possuir rede de contatos ou abertura com clientes potenciais. “Nosso concurso faz o encontro entre empresas buscam inovar e startups que querem ser vistas como parceiras preferenciais dessa jornada”, pontua a nossa CEO, Deborah Vieitas.

Entre os prêmios, está a associação da Biosolvit à Amcham durante um ano gratuitamente. Segundo o CEO da Biosolvit, Guilhermo Queiroz, a Amcham representa uma conexão importante com o mercado norte-americano, que para a startup é um alvo. “A associação à Câmara, para nós, é o maior prêmio, porque queremos fazer conexão com as empresas que estão aqui”, finalizou.

Durante o pitch, o CEO da Quero Quitar, Marc Lahoud, também lembrou a relevância da competição para os negócios da startup paulistana. “A Amcham para gente é vitrine, é exposição, é network e é relacionamento. Precisamos desse contato com grandes empresas também para podermos crescer em maior velocidade”, apontou.

Além de Lahoud, o CEO da Logiun, Jefferson Bernardi, já colhe os resultados da participação no Arena. “Desde que começamos na Amcham, só os contatos gerados aqui já estão hoje convertidos em dois negócios. Isso apenas os contatos diretos”, comentou. Queiroz também reafirmou a necessidade das conexões: “Veja o nível dos jurados que estavam aqui hoje. É disso mesmo que a gente precisa para escalar o negócio.”