Business Agility: a importância de pensar o seu negócio de maneira ágil no novo normal

publicado 30/07/2020 20h02, última modificação 30/07/2020 20h02
Brasil – O primeiro passo na hora de implementar processos rápidos é preparar o terreno e entender que isso não se faz debaixo para cima
“Agilidade acontece de cima para baixo. É preciso começar pelo C-Level, porque se não for por mandamento não acontece”, diz Rodrigo Giaffredo cofundador da Super-Humanos Consultoria.JPG

“Agilidade acontece de cima para baixo. É preciso começar pelo C-Level, porque se não for por mandamento não acontece”, diz Rodrigo Giaffredo cofundador da Super-Humanos Consultoria

Na era digital e com a chegada do novo coronavírus, inovar não é mais uma opção – é uma imposição. As organizações, já antes pressionadas por evoluções tecnológicas, comportamento de clientes e concorrência, agora precisam buscar novos caminhos para conseguir acompanhar o ritmo do mercado e responder rapidamente ao novo obstáculo.  

Na teoria, essa busca por agilidade, conhecida também como ‘Business Agility’, significa fazer com que todos os envolvidos na entrega de soluções – líderes de negócios e tecnologia, desenvolvimento, operações de TI, jurídico, marketing, finanças, suporte e outros – pensem de modo ágil e esqueçam o modelo tradicional de gestão. É uma maneira de fornecer, continuamente, produtos inovadores de alta qualidade e serviços mais rápidos que outros players. Esse foi o tema do nosso webcomitê 'Business Agility: pensando o seu negócio de maneira ágil', realizado no dia 29/07.

 

EXPERIMENTAR, FALHAR E APRENDER   

Há um estudo, de acordo com o Diretor de Inovação da Cervejaria Ambev, que afirma que 80% das ideias vão falhar mesmo que feitas de maneiras competente. Por isso, lançar uma versão simplificada do produto final é o método de pesquisa mais ágil para validar um serviço, considerando que tendências surgem a todo instante. Além de amenizar riscos, as investigações para criar um novo produto permitem uma proximidade maior entre empresa e consumidor.  

“Quando eu tenho um nível de incerteza maior, o ágil entra em jogo. Ao invés de ter um funil com seis processos, é mais interessante criar ciclos de desenvolvimento mais curtos para que eu possa aprender com ele. Eu não preciso ter o produto pronto, porque eu posso complementá-lo depois com o aprendizado de mercado. Na Ambev, nós desenvolvemos essa musculatura de testar pequeno”, conta Felipe Cerchiari, um dos palestrantes do comitê.  

 

COMO IMPLEMENTAR A CULTURA ÁGIL?  

O primeiro passo na hora de implementar processos ágeis dentro de uma empresa é entender que isso não se faz debaixo para cima. A ideia de ‘Business Agility’ precisa começar com o C-Level e, só depois, se disseminar em escala. Além disso, é preciso preparar o ambiente e ter o mínimo antes de começar. “Senão, disfarçamos o tradicional de ágil, e ele se torna frágil”, diz Rodrigo Giaffredo, cofundador da Super-Humanos e Ex-Head LATAM de Transformação Ágil da IBM. 

Para gerar novos negócios e ter mais agilidade, apesar de não existir fórmula pronta, é fundamental seguir alguns rituais: 

 

- Estruturar um planejamento para todo o trabalho e para ciclos curtos e intermediários. Não é porque a metodologia é ágil que não necessita de budget, dados ou processos; 

- Estabelecer uma dinâmica de trabalho baseada em conversa e colaboração. A comunicação dá mais fluidez para os processos ao longo do tempo.  

- Trabalhar com ciclos de entregar parciais. Dessa forma, é possível corrigir eventuais problemas e melhorar. 

- Fazer uma retrospectiva sobre como foi usar a metodologia. Nessa etapa, é importante descobrir o que deu certo e o que não, quais foram as dúvidas e novas ideias.

 

O QUE SÃO OS COMITÊS?

São encontros e periódicos entre executivos de diversos segmentos voltados para atualização, benchmark e networking e exclusivos para os nossos sócios.

PARA QUEM SÃO?

São para todos(as) os(as) associados sem limites de participantes, sendo encontros gratuitos.

COMO FUNCIONAM?

Temos cerca de 110 comitês em atividade nas diferentes regionais, divididos em várias frentes de atuação, com palestras, painéis de discussão e dinâmicas com speakers especializados no tema. Diante da atual situação com a COVID-19 no Brasil, transformamos os encontros presenciais em atividades digitais e webinários. Para se manter atualizado sobre nosso calendário e se inscrever rapidamente nos eventos, baixe o aplicativo o App Amcham, disponível na Apple Store ou no Google Play.