Cultura Maker: como ela favorece a inovação

publicado 04/08/2021 13h42, última modificação 11/08/2021 10h35
Descubra como o movimento pode ajudar a transformar a sua empresa
amcham talks_cultura maker.png

Inovar é transformar ideias em resultados, a Cultura Maker favorece essa inovação mão na massa.

A cultura maker baseia-se na ideia de que todas as pessoas podem criar, construir e consertar qualquer coisa com as próprias mãos - são os chamados makers ou fazedores. Considerada por especialistas parte da nova revolução industrial, a cultura maker é a expressão da democratização do digital que, ao facilitar o acesso à ferramentas tecnológicas, permite a criação de produtos e soluções, favorecendo a inovação.

Inovar é transformar ideias em resultados e o movimento maker é justamente sobre isso: favorecer a inovação ao possibilitar que qualquer pessoa tenha a oportunidade de transformar suas próprias ideias em soluções palpáveis, sejam elas físicas ou digitais. 

Assim, podemos enxergar com clareza o quão importante é o papel da cultura maker para a geração de qualquer tipo de inovação, inclusive, dentro das organizações.

 

A IMPORTÂNCIA DA CULTURA MAKER

O movimento maker é considerado uma evolução do DIY - sigla para “Do it yourself” ou “Faça você mesmo” em português, que surgiu em 1940. Contudo, a cultura maker só ganhou força entre as décadas de 1980 e 1990, com o avanço da tecnologia.

O surgimento de computadores e outras ferramentas tecnológicas, como as impressoras 3D e as cortadoras a laser, tornaram os ambientes de criação ainda mais práticos e acessíveis, espalhando a cultura maker por todo mundo.

Outros dois marcos importantes para a popularização do movimento foram a criação da revista Make Magazine, em 2005, e a celebração da Maker Faire, em 2006.

Ao levantar a bandeira do “faça você mesmo”, a cultura maker contribui para que o poder de criar, fabricar e inovar, saia das indústrias e habite, cada vez mais, as mãos das pessoas, tornando-as protagonistas, mais proativas e autônomas.

Para a cultura maker, participar ativamente da produção de um material é mais importante do que usá-lo. O processo de transformar ideias em resultados favorece o desenvolvimento pessoal, a busca por conhecimento, a responsabilidade ambiental e incentiva a colaboração de ideias, conceitos fundamentais para gerar inovação.

A cultura maker tem 4 pilares que são a base e os princípios do movimento. Tais pilares também são peças-chave que favorecem a inovação, por isso, vale a pena ficar de olho e buscar estratégias para implementá-los na gestão de sua empresa. Saiba mais sobre os 4 pilares do movimento maker a seguir:

 

1- CRIATIVIDADE

Criatividade é algo inerente ao ser humano, ainda que muitos pensam ser um tipo de dom, não é: por natureza, o cérebro é criativo. Quando é necessário resolver um problema, a criatividade aparece para ajudar a estimular as ideias.

O pilar da criatividade na cultura maker valoriza a originalidade, o ser diferente e inovador para criar qualquer coisa com as próprias mãos.

Nas empresas, ser criativo é fundamental para encontrar soluções, gerenciar riscos e elaborar novos projetos e modelos de negócio que tragam resultados para a organização. É importante ter em mente que, sem criatividade, não existe inovação. Não negligencie essa habilidade na sua empresa.

 

2- COLABORAÇÃO

Colaboração nada mais é do que trabalho em conjunto: o trabalho em equipe é fundamental para o bom desenvolvimento das atividades. Quando duas ou mais pessoas colaboram e se juntam para criar ou solucionar algo, o resultado positivo é garantido.

O pilar da colaboração na cultura maker favorece o engajamento e a comunicação. Saber trabalhar em grupo é fundamental para criar e construir qualquer coisa, mas também para renovar e recriar ideias. Quando essas ideias são colocadas em aberto, na rede de colaboração, para que outras pessoas possam utilizá-las, ocorre uma espécie de open source, conceito em que o protótipo ou fonte original fica aberto e disponível para que outros possam colaborar com melhorias.

Nas corporações, a colaboração é importante para engajar as equipes e aumentar a produtividade. Colaboradores que sabem trabalhar em grupo respeitam mais a opinião dos outros, sabem ouvir o outro com empatia e desenvolvem uma comunicação não-violenta.

 

3- ESCALABILIDADE

A escalabilidade permite que haja crescimento e expansão sem perder as qualidades iniciais do produto ou negócio.

O pilar da escalabilidade incentiva a criação e construção de itens replicáveis que possam ser multiplicados em grande escala, porém com baixo custo.

Para empresas que desejam crescer com eficiência e adaptar-se às mudanças com sucesso e facilidade, é importante desenvolver essa capacidade de escalabilidade, pilar fundamental para gerar inovação na organização.

 

4- SUSTENTABILIDADE

Sustentabilidade é a capacidade de crescer e suprir necessidades sem que haja o esgotamento das fontes naturais e ambientais. Criações sustentáveis são aquelas que evitam desperdícios e usam as matérias-primas com responsabilidade socioambiental.

O pilar da sustentabilidade promove o uso consciente dos recursos naturais disponíveis e rejeita o desperdício. Ao incentivar as reformas e consertos de produtos com as próprias mãos, a cultura maker levanta a bandeira dos 3R’s da sustentabilidade: reduzir, reciclar e reutilizar. É sobre reconstruir em vez de substituir. 

Para empresas, a sustentabilidade deve ser tratada como pilar estratégico da gestão. É preciso investir com responsabilidade em processos e lideranças mais sustentáveis. Colocar em prática as ações de ESG é fundamental para gerar inovação, porém deve ser feito com propósito e verdade. 

 

LEIA MAIS: Pesquisa Amcham aponta recorde de engajamento ESG no setor privado brasileiro

 

COMO APLICAR A CULTURA MAKER NAS EMPRESAS

Para gerar inovação com agilidade e propósito, a empresa precisa estar disposta a se transformar. O futuro deve ser proativo, autônomo e sustentável para que a organização sobreviva a tantas mudanças culturais, de mercado e de comportamento humano.

A cultura maker é um caminho estratégico para promover tais mudanças, empoderar colaboradores, abrir espaços colaborativos, abarcar práticas sustentáveis e favorecer os processos de inovação na empresa.

Para ajudar a sua organização a entender como a cultura maker pode favorecer a inovação do negócio, realizaremos nos próximos dias 25 e 26 de agosto o nosso Festival de Inovação - Amcham Talks 2021.

Você terá acesso a cases exclusivos de empresas americanas e brasileiras que já trabalham com essa estratégia. Além disso, especialistas darão insights e sugestões práticas de como implementar esta cultura em sua empresa.

Inscreva-se no evento e participe gratuitamente!