"Há nas empresas uma tendência ao desenvolvimento de competências voltadas à execução"

publicado 19/05/2015 12h03, última modificação 19/05/2015 12h03
Recife- Na Amcham, a consultora Solange Machado falou sobre inovação e deu dicas de como estimular o processo criativo nas organizações
solange-machado-311.html

As empresas devem focar sua gestão de modo a estimular a inovação e a criatividade caso queiram manter sua capacidade de adaptação ao mercado. Essa é a conclusão da consultora e diretora da Imaginar Solutions, Solange Mata Machado, que palestrou durante a manhã de hoje (19/5) no “Fórum de capacitação empresarial: o processo criativo para resolução de problemas”,  promovido pela Amcham Recife.

Segundo Solange Mata, há nas empresas uma tendência a focar no desenvolvimento de competências voltadas à execução, e não à criação. Dessa forma, corre-se o risco de que as empresas fiquem presas à mesma mentalidade e à mesma forma de agir, deixando passar oportunidades valiosas de negócios. “Num mercado extremamente competitivo e volátil como o atual é fundamental que os gestores das empresas se mantenham abertos a novas formas de pensar, para que eles consigam planejar e tomar decisões em cenários ambíguos e incertos”, comenta.

Porém, de acordo com a consultora, inovar é bem mais complexo do que parece. E as razões são muito mais neurológicas do que culturais. Sendo o cérebro o órgão do corpo que mais consome oxigênio (cerca de 20% do total que inalamos), o nosso organismo acaba criando maneiras de fazer o cérebro economizar energia e se preservar. Uma dessas maneiras é justamente criar rotinas mentais, ou seja, pensar sempre a mesma coisa.

Outra barreira neurológica mostrada por Solange Machado diz respeito à estrutura física do nosso cérebro (que é dividida em três partes).  Ela conta que quando nos vemos diante de um desafio a tendência é que a base do cérebro (parte responsável pelo instinto de sobrevivência) comande nossas ações e acabemos optando por não encarar as situações novas.

No entanto, apesar das adversidades, há formas de estimular o processo criativo. Solange destaca que o processo de estar em constante contato com situações novas é fundamental para a inovação.  Ela acredita que o gestor deve estar atento para desenvolver as seguintes habilidades de criatividade: observação; constante questionamento; colaboração com setores diferentes do seu; frequente experimentação de novas situações.

A consultora concluiu ainda que para levar criatividade de forma eficaz para as empresas é preciso transformá-la num método, não numa ação. “Ser criativo não se trata de ações pontuais, mas uma forma de gestão que integre inovação à cultura corporativa.” 

registrado em: