IBM e Stihl Brasil dão panorama da Indústria 4.0 no país durante encontro em Porto Alegre

publicado 17/04/2018 10h41, última modificação 17/04/2018 16h16
Porto Alegre – Brasil tem baixa taxa de robôs na manufatura: apenas 12 para cada 10 mil funcionários
Amcham Porto Alegre promove Encontro Panorama da Indústria 4.0 no País

Stihl e IBM apresentaram cases de inovação durante o encontro

Segundo um estudo publicado na Revista Exame em agosto do ano passado, o Brasil tem, em média, 12 robôs para cada 10 mil empregados no setor de manufatura. O número é muito baixo, especialmente se comparado a países como Coreia do Sul (531) e Alemanha (301). Como lembra Alex Marques, Especialista Sênior de Melhoria Contínua  da Stihl, a tecnologia da Indústria 4.0, voltada para a automatização, são um meio para aumentar a competitividade e produtividade. No entanto, a aplicação de qualquer inovação deve estar ligada a estratégia da empresa.

Marques, que palestrou durante o Comitê de Gestão Industrial da Amcham – Porto Alegre no dia 10/04, lembra que, para cada objetivo – seja reduzir custo ou aumentar eficiência -, há uma ferramenta ideal. A Stihl Brasil, em 2018, conta com 356 robôs para cada 10 mil empregados – um nível bem acima da média brasileira. Em alguns cases, a empresa atuou com a impressão de protótipos com impressora 3D, utilização de realidade aumentada para capacitar operadores do Centro de Usinagem.

Também presente no encontro, Francis Ricalde, Líder Técnico e de Arquitetura de Soluções da IBM, trouxe outros cases relacionados a inteligência artificial, como da Volkswagen. Uma parceria entre as duas empresas trouxe o Manual Cognitivo, um recurso de conexão digital dentro de um carro. O modelo Virtus usa o Watson (robô da IBM) para responder aos motoristas sobre questões do veículo, permitindo uma interação inédita. O consumidor pode recorrer ao aplicativo para tirar dúvidas de alguma luz que acende no painel do carro ou mesmo como instalar uma cadeirinha de bebê.

Outra inovação interessante é do Walmart, que usa a plataforma de blockchain da IBM para garantir a rastreabilidade de seus alimentos, a fim de garantir produtos com qualidade e frescos durante toda a cadeia.

 

Empregos e tecnologia

Ranieri Karkow, Diretor Industrial da Stihl, lembra que a Indústria 4.0 não vai tirar empregos de operadores. O que acontece é que esses funcionários terão que se adaptar às novas funções relacionadas a um cenário de modernização da indústria. Ele lembra que, nesse caso, o desenvolvimento, atualização e capacitação de colaboradores surgem como uma questão importante para o setor privado.