Inovação é essência de todo novo negócio, defende fundador da Bematech

por giovanna publicado 20/09/2011 16h39, última modificação 20/09/2011 16h39
Curitiba – Apoiado no case de sua companhia, Marcel Malczewski aponta lições para que companhias tenham êxito.
inovacao_corpo.jpg

Inovação e diferenciação são fundamentais para o sucesso nos negócios, principalmente quando se trata de novos empreendimentos. De acordo com Marcel Malczewski, co-fundador e presidente do Conselho de Administração da Bematech, é preciso apresentar um diferencial em relação às outras empresas para a conquista de um bom espaço no mercado.

“Inovação deve estar no sangue, no DNA de qualquer novo empreendimento. Sem isso, não é possível obter um lugar ao sol dentro de um mercado competitivo”, afirmou Malczewski, que apresentou o case de sua companhia no comitê de Empreendedorismo da Amcham-Curitiba nesta terça-feira (20/09).

Criada em 1990 a partir de duas teses de mestrado, a Bematech atua em automação bancária e comercial. Em pouco mais de vinte anos, tornou-se uma companhia de economia aberta e presença internacional, com atuação em países como Estados Unidos, Taiwan, Alemanha e Argentina.

Lições

Para Malczewski, a inovação foi e é um dos pontos determinantes para o sucesso da companhia. “No início, a única saída que tínhamos era inovar, fazer diferente do que as outras empresas já faziam. Hoje, cerca de 7% da receita total da Bematech são destinados a pesquisa e desenvolvimento”, explicou. Na Bematech, a preocupação com a inovação, desde o início, voltou-se, além de produtos e serviços, também para processos internos, buscando, por exemplo, diferenciação na forma de comercialização.

Outra lição indicada por Malczewski, a partir da experiência da própria Bematech, é a profissionalização do empreendimento. “No início, a paixão é o motor do empreendedorismo, mas, com o tempo, é preciso analisar os negócios de maneira racional”, explicou. Além disso, uma visão aprofundada e sempre atualizada do mercado é importante para a consolidação da empresa ou marca, lembrando que há momentos em que é necessário adequar o negócio a uma nova situação.

Cenário brasileiro

Na opinião do empresário, o Brasil vive um bom momento, do ponto de vista de mercado consumidor e investimentos, para o estabelecimento de pequenas e médias companhias. Por outro lado, ele também aponta pontos de atenção no panorama brasileiro.

“O Brasil ainda é um país muito difícil, principalmente para o setor de tecnologia. A burocracia e os custos do País são enormes. Uma pessoa tem de trabalhar o dobro do que faria lá fora para conseguir destaque no mercado”, apontou. Aí entra novamente a diferenciação, como reforçou Malczewski. “As empresas precisam se preocupar com isso, principalmente os novos empreendedores. Se eles não inovarem, não terão sucesso”, concluiu. 

registrado em: