Para idealizadores do LuizaLabs, revolução digital começa com as pessoas

publicado 24/07/2018 14h32, última modificação 24/07/2018 14h47
Campinas – Durante visita do programa de gestão “Face the Change”, executivos compreenderam mudança de mindset do Magazine Luiza
Face the Change

O propósito do centro de inovação era de tornar o Magazine digital através do desenvolvimento de ferramentas, conta Thiago Catoto

Se transformar dentro de um segmento considerado tradicional é o desafio de grande parte das empresas que atuam há anos no mercado. E, frente aos novos perfis e comportamentos dos consumidores, essas mudanças tendem a ser cada vez mais rápidas.

Não foi diferente com a gigante do varejo Magazine Luiza. Com o surgimento de diversas redes de e-commerce, a empresa viu seu modelo de negócios próximo do naufrágio. Era preciso realizar mudanças não apenas na forma de atender o cliente e na digitalização dos serviços, mas também no mindset dos colaboradores.

Para entender mais sobre os desafios, os participantes do programa estratégico de gestão “Face The Change”, promovido pela Amcham -  Campinas, realizaram uma visita ao LuizaLabs, centro de inovação do Magazine Luiza, onde foram recebidos por Thiago Catoto, gerente de T.I do Laboratório.

Catoto, que participou do projeto desde sua concepção em 2011, compartilhou que o maior desafio em torno do LuizaLabs foi o engajamento das pessoas. “Mais do que um monte de tecnologias, se tornar digital tem como principal ingrediente as pessoas. Esse foi um processo difícil, pois tivemos mudanças nas equipes, integração de terceiros, enfim, é uma etapa difícil”.

Ainda segundo o gerente, o propósito sólido da iniciativa, que era de tornar o Magazine digital através do desenvolvimento de ferramentas dentro da própria empresa com a participação de todos, garantiu o sucesso longínquo do processo. “Aqui não temos uma área de inovação. Por exemplo, é injusto dizer que apenas uma área da empresa é responsável pelas inovações que acontecem. Todo processo deve ser muito participativo, porém com responsabilidade: todos podem desenvolver e propor inovação, mas será responsabilidade dessa pessoa também acompanhar todo desenvolvimento do projeto”, explica.

Com o crescimento quase exponencial dessas ferramentas digitais que pretendem auxiliar os negócios, Thiago alertou para os erros comuns cometidos no início do processo de digitalização de uma empresa. Estes podem ser evitados com facilidade, economizando dinheiro e tempo de todos. “Tornar uma empresa digital pouco tem a ver com investir milhões em mundos de programas e clouds, e tudo a ver com ter às vezes uma única ferramenta correta que lhe fornecerá os dados necessários para que você tome as decisões corretas nos momentos pertinentes”, finalizou.