Pitch campeão: as dicas do vencedor do Amcham Arena para se destacar em uma competição

publicado 16/07/2020 10h37, última modificação 16/07/2020 10h37
Brasil – Para participar do concurso, de acordo com Guilhermo Queiroz, é preciso estar bem preparado e com o pitch na ponta da língua
Para Guilhermo Queiroz, o Arena tem um corpo de jurados diferenciado- “São conexões com pessoas fora da curva_.jpg

Para Guilhermo Queiroz, o Arena tem um corpo de jurados diferenciado: “são conexões com pessoas fora da curva"

Em meio ao período de isolamento, a máxima de 'quem não é visto, não é lembrado' ganhou outras proporções para o setor privado, principalmente para as startups. Com a paralisação de eventos corporativos e encontros físicos em todo o país, as startups sofrem mais para ganhar visibilidade e se conectarem à grandes corporações.

“Ter visibilidade com grandes empresas já era o maior desafio de 65% das startups brasileiras no final do ano passado. O isolamento comercial potencializou ainda mais essa dificuldade de interação de ecossistemas, especialmente, para as startups que estão enfrentando sua primeira grande crise”, diz nossa CEO, Deborah Vieitas.

Para ajudar as startups brasileiras a conquistar conexões estratégicas e apoiar o empreendedor mesmo em tempos de incerteza, lançamos a Temporada 2020 do Amcham Arena. “O impacto no meu negócio foi muito positivo, seja em visibilidade, conexão com o mercado ou networking. O Arena, especialmente durante uma pandemia, vai fazer com que as empresas se exponham em um momento que, para uma startup, é muito difícil se expor”, avalia Guilhermo Queiroz, CEO Biosolvit e vencedor da edição passada.

Para participar (e vencer) o concurso, de acordo com ele, é preciso ser capaz de aproveitar todas as brechas, estar bem preparado e com o pitch na ponta da língua.

 

PITCH CAMPEÃO: MENOS É MAIS

Na hora de montar um pitch campeão, menos é sempre mais. “Sua startup pode ter diversas soluções legais, mas, se falarmos de todas, as pessoas vão se confundir e você não vai se destacar. Eu vejo empreendedores querendo falar muita coisa, mas acabam não passando mensagem nenhuma”, afirma Queiroz. O ideal é escolher aquilo que a empresa faz melhor e estruturar todo o discurso baseado em um único produto.

De acordo com o empreendedor, o pitch precisa ser encarado como o início de uma conversa, não como o fim. “Você precisa fazer o pitch para que as pessoas tenham vontade de conversar com você de novo, por isso, não podemos esgotar todas as opções”, declara. Autenticidade ao retratar um modelo de negócio é outra característica que faz a diferença em uma competição.

 

FAÇA SEU DEVER DE CASA E INVISTA NA STARTUP

Apesar da incerteza, a crise trouxe algo de positivo para os empreendedores: o tempo necessário para investir na startup e se dedicar ao crescimento do negócio. “A pandemia tem diferentes reflexos nas startups, a depender do momento de cada uma. Mas, de certa forma, faz parte do empreendedorismo buscar caminhos para tirar algo bom das situações adversas”, diz Queiroz.

Além disso, momentos de baixa não devem ser motivos para deixar de investir em seu negócio. Segundo o CEO da Biosolvit, fazer investimentos na crise é sempre saudável e este é um bom momento para aproveitar as oportunidades que o mercado oferece.

 

APROVEITE CADA BRECHA

Há inúmeras competições no Brasil e mundo, mas, para Guilhermo Queiroz, o Amcham Arena tem um corpo de jurados diferenciado. “São conexões com pessoas fora da curva – uma hora de mentoria com os executivos que estavam no júri vale uma grande fortuna. É interessante participar e, uma vez lá dentro, aproveitem. Mostrem seu modelo de negócio da melhor forma e busquem através do prêmio e do reconhecimento, que eventualmente vocês conquistem, capitalizar seu negócio”, aconselha. 

Tem uma startup inovadora e está precisando de um lugar para vender seu peixe? Inscreva-se no Amcham Arena - é só ter uma boa ideia, uma boa conexão com a internet e, claro, um bom pitch! Para mais informações sobre inscrição e regulamento, acesse o portal do Arena.