Startup Nation: as lições de Israel para o Brasil

publicado 12/06/2020 15h14, última modificação 12/06/2020 15h14
Brasil - O ecossistema empreendedor israelense prospera graças ao risco, colaboração e flexibilidade
De acordo com Itai Green, CEO da Innovate Isral, o ecossitema de Israel prospera graças aos riscos enfrentados pelo país.jpg

De acordo com Itai Green, CEO da Innovate Isral, o ecossistema de Israel prospera graças aos riscos enfrentados pelo país

Como um dos expoentes da inovação no mundo, Israel ganhou o apelido de ‘Startup Nation’ por um simples motivo: com menos de 9 milhões de habitantes, o país concentra a maior média de startups e empresas de tecnologia por pessoa, cerca de uma startup a cada 1.400 israelenses. O número chama atenção, mas não é esse o único motivo que faz com que a região atraia a atenção de empresas com alcance global.

De acordo com o Diretor de Inovação, Empreendedorismo e Tecnologia do Ministério das Relações Exteriores de Israel, outro grande diferencial do país é a atuação do poder público, que passou a apoiar o empreendedorismo como uma política pública: “O governo divide os riscos com empreendedores e investidores”, conta Andy David. Além disso, o exército se tornou um verdadeiro centro de tecnologia dentro do país, qualificando a mão-de-obra. Combinadas com o ecossistema de apoio, essas ações criam um terreno fértil para ideias inovadoras.

Não à toa, Israel foi extremamente eficiente em sua resposta à pandemia do novo coronavírus – e a sintonia entre poder público e setor privado foi essencial para desenvolver ações responsáveis e seguras ao problema. Além disso, o governo adotou inúmeras medidas visando, sobretudo, incentivos fiscais a pequenas e médias empresas.

 

O RISCO FAZ PARTE DA EQUAÇÃO

O ecossistema de Israel prospera graças aos riscos enfrentados no dia a dia. Se por um lado um empreendedor se depara com grandes chances de não ter sucesso com a sua recém-criada startup, é justamente essa tentativa arriscada que garante a geração de novas ideias e faz a roda da economia girar.

É esse espírito que move os empreendedores do país. Com Itai Green, CEO da Innovate Israel, não é diferente. Segundo ele, não há como alcançar objetivos sem assumir riscos, especialmente no meio de uma pandemia. “Empreendedores por natureza fazem isso, porque quanto mais você se arrisca mais chances você tem de sucesso”, afirma o especialista em nossa edição digital da Missão Internacional sobre Israel, realizada no dia 10/06.

 

COOPERAÇÃO E COMPARTILHAMENTO

É preciso que as empresas se movam rápido, caso contrário, é provável que elas percam o timing do mercado e sejam deixadas para trás. Mais importante do que dinheiro, o que realmente faz diferença nesse cenário é o compartilhamento e a colaboração para além dos limites da empresa, sem se preocupar com os concorrentes.

Colaborar com os diversos players do ecossistema é importante – mas também é necessário flexibilidade para colocar em prática o que se aprende. “As pessoas mais inteligentes podem não estar trabalhando em corporações ou para você e, por isso, precisamos de colaboração. Além disso, quando trabalhamos com startups, toda a empresa muda seu DNA, não só o departamento de inovação”, defende o CEO da Innovate Israel.

 

CONFIANÇA, EFICIÊNCIA E FLEXIBILIDADE

Como em toda crise, o uso da tecnologia como motor para superar os obstáculos impostos pela pandemia moldou o comportamento de pessoas e grandes corporações. De acordo com Itai Green, em Israel, três aspectos se destacaram: confiança, eficiência e flexibilidade.

“As pessoas buscam se sentir seguras e a tecnologia trazer essa segurança. A mesma coisa acontece com eficiência. Todo mundo busca ser mais eficiente, e o que pode resolver essa questão são soluções que usam Inteligência Artificial, machine learning e outras ferramentas”, avalia Green. Além disso, devido ao receio de uma possível segunda onda do novo coronavírus, as empresas têm se mostrado mais flexíveis para lidar com a crise de forma mais tecnológica.

 

O QUE SÃO AS MISSÕES EMPRESARIAIS DA AMCHAM?

São imersões práticas*, com agenda customizada às necessidades de transformação dos nossos associados, com agenda prática de benchmarking com empresas e instituições de referência.

PARA QUEM?

Para sócios e não sócios, de acordo com o perfil de público para o qual a missão foi desenhada, bem como sua temática. Também podemos organizar missões no formato ‘Tailor Made’, atendendo às demandas específicas da empresa parceira.

COMO FUNCIONA?

Lideramos delegações de empresários em mais de 300 visitas a grandes empresas, institutos, feiras e universidades.

*Durante a pandemia da COVID-19, nossas Missões estão com programação digital gratuita. Acompanhe o nosso calendário de atividades para participar.