Skip to content. | Skip to navigation

Entenda por que o país do Oriente Médio se tornou referência em inovação

Tecnologia israelense – como o país se tornou modelo de polo tecnológico

publicado 20/06/2022 14h32, última modificação 20/06/2022 14h32
Entenda como Israel se destacou no universo da tecnologia e inovação
pexels-haley-black-2087387.jpg

Israel

A tecnologia israelense é uma das mais famosas do mundo, principalmente quando se trata de inovação, agricultura e cibersegurança. O país do Oriente médio se destaca não só por incentivar seus cidadãos a investirem em empreendedorismo, mas também por ser berço de gigantes do universo da tecnologia, como Waze, Wix e Viber. 

O avanço tecnológico de Israel pode ser mensurado pelo número de startups do país: pesquisas estimam que a cada ano nascem 1,4 mil startups israelenses – ou seja, uma nova empresa a cada seis horas.  

Quer conhecer mais sobre esse polo tecnológico asiático? Confira como e por que Israel conquistou o título de Startup Nation nesse texto. 

 

Como aconteceu o crescimento da tecnologia em Israel 

 

Se tornar um polo tecnológico não aconteceu sem querer ou sem um planejamento prévio. Mesmo sendo um país consideravelmente novo e localizado em uma região de intensos conflitos geopolíticos, Israel conseguiu se organizar de maneira que esses fatores não fossem um empecilho para o desenvolvimento tecnológico da região.  

Para permitir que o país alcançasse essa meta tecnológica, o governo utilizou de dois propulsores: o investimento financeiro e a cultura de empreendedorismo. 

 

Investimento 

 

Israel investe cerca de 5% do seu PIB em pesquisa e desenvolvimento de inovação, o que é mais que o dobro da média dos outros países integrantes da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Esse montante financeiro é o que permite que as universidades do país se tornassem referências mundiais em suas áreas de pesquisa. Uma das mais famosas, a Universidade de Tel Aviv, possui 30.000 alunos estudando em 9 faculdades, 29 escolas e 98 departamentos. 

Além da educação, o governo auxilia as startups através de programas de incubadoras de tecnologias. Atualmente, são mais de 25 em todo país, e oferecem financiamento governamental de até 85% dos cursos do projeto em estágio inicial por dois anos. Dessa maneira, o governo dá um alicerce fundamental para as empresas e minimiza o risco para os investidores. 

E não apenas empresas nacionais podem aproveitar que auxílios governamentais. Para companhias internacionais, a Lei do Investimento permite que haja uma taxa reduzida de impostos, além da oferta de bolsas de emprego para centros de pesquisa e desenvolvimento (P&D) e grandes empresas. 

Para além do investimento estatal, Israel também atrai investidores do mundo inteiro. Atualmente, já são mais de 150 fundos de venture capital em operação no país - número animador, considerando o volume de startups na região. 

 

Cultura de empreendedorismo 

  

Prezar pela inovação é um aspecto cultural para a população israelense. Por muitas vezes esse “tino” tecnológico começa a se desenvolver em jovens israelenses durante o alistamento militar obrigatório, que dura três anos para homens e dois para mulheres. Durante esse período servindo às forças armadas, eles passam por uma formação técnica avançada, que majoritariamente está associada ao desenvolvimento de alguma tecnologia de defesa. Não é incomum encontrar CEO’s de grandes empresas que começaram a carreira após saírem do alistamento militar – entre eles estão os líderes do Waze e OutBrain. 

Fora do ambiente militar, a educação superior também tem grande peso para o grande número de startups da região. Com a maior concentração mundial per capita de engenheiros e PHDs do mundo, a força de trabalho altamente qualificada e ambiciosa é uma das razões pela qual a tecnologia israelense é tão reconhecida.  

As universidades focadas em inovação e P&D atraem não só estudantes israelenses, mas também acadêmicos ao redor do globo, o que resultou em diversas ondas migratórias de discentes altamente qualificados para o país. 

 

Setores de destaque em tecnologia de Israel 

 

Devido suas características geopolíticas, Israel se sobressai em dois setores da tecnologia: a agricultura e foodtechs, e cibersegurança e vigilância.  

 

Agricultura 

 

Situado no Oriente Médio, o solo de Israel é biologicamente árido e seco, logo, uma das primeiras tecnologias desenvolvidas pelo país foi a de agricultura. Hoje em dia o país é referência de desenvolvimento de sistemas que usam inteligência artificial para detecção de doenças na lavoura, agricultura de precisão, e fertilizantes e pesticidas baseados em plantas 

Além das categorias já citadas, o objetivo do país é utilizar tecnologia israelense para criar substitutos de proteína animal e soluções para economia de recursos como água e fertilizantes. 

  

Cibersegurança 

 

Como já citado anteriormente, Israel está localizado em uma área de constantes conflitos políticos territoriais. Por isso, o país investe em cybersegurança e tecnologia de vigilância para monitorar suas fronteiras e áreas de confronto.  

Por isso não é nenhum espanto quando se descobre que ferramentas como drones e a prática de criar competições de hacker para encontrar falhas em sistemas de segurança surgiram em Israel.   

 

Maiores empresas tecnológicas israelenses 

 

Mesmo sendo um polo tecnológico com um forte setor de agricultura, as cybertechs e software houses são as que mais ganharam destaque e investimento em Israel. Confira abaixo as maiores empresas do país: 

 - Infinidat 

 A Infinidat é uma empresa israelense de armazenamento de dados fundada em 2011. Seu principal produto é o InfiniBox, um hardware que emprega algoritmos de machine learning para aumentar a eficiência de outras máquinas.  

  - Iron Source 

 Fundada em 2009, a Iron Source é uma empresa que oferece soluções de monetização para desenvolvedores de aplicativos e softwares. Em outras palavras, é ela que desenvolve os plug- ins necessários para que desenvolvedores de aplicativos, como jogos, possam cobrar por atualizações e expansões.   

 - Wiz 

Soberana entre as cybertechs, a Wiz foi criada em 2021 e já é a startup mais valiosa do país, de acordo com levantamento da CB Insights. O principal produto da empresa é uma ferramenta que cria um inventário de todas as tecnologias em execução na nuvem do cliente e oferece visibilidade unificada de todas as camadas da nuvem. 

Proprietária de jogos como CoinMaster e Family Island, a MoonActive é uma produtora de mobile games que foi criada em 2020 e já vale mais de US$ 5 bilhões. Segundo a própria empresa, o segredo para seus jogos de sucesso é uma profunda análise de Machine Learning e Data Science para identificar os pontos de influência que irão chamar atenção do seu público. 

 

E você, quer ter a oportunidade de conhecer de perto e aprender mais sobre inovação na Startup Nation? A Amcham irá lançar em setembro de 2022 a missão Israel. Um programa de uma semana de imersão estratégica com especialistas da Universidade de Tel Aviv e corporações do ecossistema do país.